Tag: X-Men: O Confronto Final

X-Men: O Confronto Final foi o terceiro filme da franquia dos mutantes na antiga Fox, e o último filme da trilogia original estrelada por Hugh Jackman, Patrick Stewart, Ian McKellen, Halle Berry, Famke Janssen e outros nomes eternizados no cânone dos X-Men. O filme chegou aos cinemas em maio de 2006.

Marcou uma das grandes decepções entre os filmes de super-heróis na distante primeira década dos anos 2000, ainda mais após o clássico e aclamado X-Men 2, iniciando o que muitos reforçaram por um tempo, sobre a maldição dos terceiros filmes nas trilogias. Mesmo assim, arrecadou 460 milhões de dólares na bilheteria mundial, a 7ª maior do ano de 2006.

O diretor dos dois filmes anteriores, Bryan Singer, decidiu abandonar o projeto por causa da oportunidade de dirigir Superman: O Retorno, filme o qual ele alega ter tido muitas mais ideias para o projeto, do que teria para X-Men 3. Alguns nomes que dirigiriam filmes de sucesso anos depois foram Joss Whedon e Zack Snyder. E graças à necessidade de aprovação de Hugh Jackman, até mesmo Darren Aronofsky foi oferecido. Até a vaga ser preenchida pelo diretor Matthew Vaughn.

Matthew teve que abandonar o projeto por problemas pessoais, assim como o prazo apertado e curtíssimo imposto pela Fox. Anos depois, Vaughn teria a chance de dirigir um filme dos X-Men, resultando no melhor de todos: Primeira Classe. Mas essa história fica pra depois, e quem assumiu o filme de 2006 foi Brett Ratner, que havia sido considerado para o primeiro X-Men.

Contou com a chegada do famoso e temido Simon Kinberg no roteiro, após sua passagem pelo Quarteto Fantástico e filme da Elektra. Kinberg escreveu o roteiro ao lado de Zakk Penn (O Incrível Hulk) e tiveram sérios problemas com a Fox, que queria cortar o máximo da Saga da Fênix o possível, querendo focar mais na história de Magneto. A Fênix não ser tratada como uma entidade cósmica e as formas de pássaro e fogo, assim como as mortes de Ciclope e Xavier, foram todas escolhas da Fox.

O Noturno, interpretado por Alan Cumming, também foi removido. Pelo fato de sua cena no filme ser tão curta, que o estúdio achou melhor nem perder tempo maquiando o ator para filmar tão pouco material. Uma pena, mas que exemplifica um dos lados ruins das produções da Fox, sendo a primeira de muitas interferências polêmicas.

Gerou um clima tão ruim entre os fãs, e a decepção com algumas mortes foram tão negativas, que o estúdio se aproveitou de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido para apagar os acontecimentos de X-Men da linha do tempo oficial. Mas cá entre nós? Considerando muitos filmes da última década, O Confronto Final está longe de ser um desastre total como Batman V. Superman e Quarteto Fantástico de 2015, por exemplo.

E apesar de ser considerado ruim, o filme tem algumas passagens bem interessantes, quanto o discurso da cura anti-mutante, e uma cena final ótima, encerrando com uma sutil dica de que Magneto não havia perdido seus poderes. E uma das melhores cenas pós-créditos da Marvel, com a inexplicável voz do falecido Xavier, no corpo de uma outra pessoa.

Um dos maiores ganchos dos filmes de heróis, que nunca foi solucionado ou se quer mencionado depois. Você pode relembrar desse filme polêmico, que está disponível no catálogo brasileiro do Disney+!