Homem-Aranha: Longe de Casa tem ABERTURA RECORDE nos EUA e no mundo!

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

 

A abertura de Homem-Aranha: Longe de Casa nos Estados Unidos foi bem melhor do que o previsto. Tendo estreado na terça-feira passada no país, muitos analistas imaginavam que o longa chegaria aos US$ 150 milhões no domingo. Felizmente, numa temporada onde tantos filmes estrearam abaixo das expectativas, Longe de Casa conseguiu superar e muito as previsões.

 

No fim de semana, o Cabeça de Teia faturou US$ 92,5 milhões na bilheteria americana – obtendo, assim, o quarto melhor fim de semana de 2019 e o maior para um filme não distribuído pela Disney, atrás apenas de Vingadores: Ultimato, Capitã Marvel e Toy Story 4. No total, Longe de Casa tem ótimos US$ 185 milhões na bilheteria americana, fazendo dele desde já o quinto maior filme do ano no país, e o maior que não é distribuído pela Disney – ainda que ele esteja numa franquia em que a maior parte dos longas pertence à Casa do Mickey, o que só ressalta a total dominância do estúdio em 2019.

 

Além disso, o longa também bateu um recorde em sua estreia: o de maior abertura de seis dias (de terça a domingo) da história. Ele deixou os dois outros blockbusters que também estrearam numa terça no início de julho comendo poeira, no caso, Transformers e O Espetacular Homem-Aranha. Os robôs de Michael Bay, até então os recordistas, haviam faturado US$ 70,5 milhões em seu primeiro fim de semana e conquistaram US$ 155,4 milhões ao final de sua estreia de seis dias. Já o Aranha de Andrew Garfield teve um fim de semana de US$ 62 milhões e uma abertura total de US$ 137 milhões.

 

 

Finalmente, Longe de Casa alcançou mais em seis dias do que Homem-Aranha 2 e seu predecessor De Volta ao Lar, que ao final deste período haviam alcançado US$ 180 milhões e US$ 154,1 milhões respectivamente (o clássico de Sam Raimi estreou numa quarta no final de junho, enquanto o reboot com Tom Holland abriu numa sexta-feira normalmente). Aliás, Longe de Casa é o 23º filme com o maior faturamento após seis dias em cartaz, tendo alcançado uma bilheteria maior neste período do que sucessos como Velozes & Furiosos 7, Piratas do Caribe: O Baú da Morte, Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith e Jogos Vorazes.

 

Tudo isso, claro, foi conquistado por meio de uma performance consistente ao longo da semana nos EUA. Na terça-feira, seu primeiro dia, ele abriu com US$ 39,2 milhões, um recorde para este dia da semana. Na quarta e na quinta, sua bilheteria ficou pouco abaixo dos US$ 30 milhões, porém o longa não sofreu quedas particularmente bruscas. Por isso, a sexta e o sábado foram excelentes: US$ 32,6 milhões e US$ 34,2 milhões. Com mais US$ 25,6 milhões no domingo, o longa foi capaz de quebrar todas as expectativas. 

 

Evidentemente, a preocupação de que a estreia dos novos episódios de Stranger Things pudesse impedir o público-alvo do longa de comparecer aos cinemas foi infundada. Embora, segundo a Netflix, a nova temporada da série de suspense teve uma audiência recorde para um produto original do serviço, nem isso impediu Longe de Casa de abrir acima das expectativas. Ou seja: o público foi capaz de maratonar Stranger Things, a série de maior sucesso já produzida por um serviço de streaming, e conferir a mais nova aventura do Homem-Aranha, pertencente à maior franquia dos cinemas, sem que um prejudicasse o outro. Talvez seja a prova de que cinema e streaming podem coexistir. 

 

 

Outro preocupação que acabou não acontecendo era a de que poderia haver um esgotamento em relação ao herói, que se tornou onipresente nos últimos anos – ele apareceu em nada menos que seis filmes de 2016 para cá. No entanto, o fato é que a popularidade do Homem-Aranha está mais alta do que nunca. Após suas memoráveis participações nos bilionários Guerra Civil, Guerra Infinita e Ultimato, o megasucesso de De Volta ao Lar e todos os prêmios de Aranhaverso, e isso sem falar no extremamente bem sucedido e indicado a prêmios jogo de PlayStation 4 do ano passado, o herói vive o ápice de suas adaptações para as telas. Tamanha a popularidade do Cabeça de Teia, e da versão vivida por Tom Holland em particular se traduziu nos excelentes números que vimos ao longo desta semana.

 

Boa parte da multidão que compareceu ao longa foram de jovens adolescentes e adultos do sexo masculino: 60% do público era homem e 58% tinham abaixo de 25 anos. Sim, mesmo quase sessenta anos após sua criação, Peter Parker ainda permanece um dos personagens favoritos para os jovens e garotos.

 

Claro, a Sony forneceu ao longa uma gigantesca campanha de marketing – avaliada em absurdos US$ 288 milhões em valor de mídia (!), ela foi maior que a da Disney para Ultimato (!!!). Em suma, segundo o Deadline, trata-se da maior campanha de marketing com parcerias promocionais já compilada para um filme. Com diversas empresas parceiras querendo se aproveitar da chegada do longa e da popularidade do herói para se promover, fãs puderam interagir com o Aranha nas caixas da pizzaria americana Papa John’s, nos vídeos de segurança da United Airlines, em lanches do Burger King, embalagens de Doritos e dos cereais da Kelloggs, num novo sabor do refrigerante americano Dr Pepper, entre outros. Isso afora promoções com outros antigos parceiros da Marvel, incluido a Audi, que criou ações com o estúdio em longas como Ultimato e De Volta ao Lar

 

 

É mais uma prova da popularidade do Homem-Aranha quando as mais diferentes marcas brigam para utilizar o herói para vender seus produtos, não concorda?

 

Enfim, após uma recepção calorosa da crítica e do público (ele tem uma nota A no CinemaScore e 8,1/10 no IMDB), tudo indica que Longe de Casa terá uma carreira frutífera nas bilheterias. Claro, não há muitos filmes desta escala que abriram numa terça, por isso é um pouco mais difícil calcular qual pode ser o resultado final de Longe de Casa. Uma performance similar à de Transformers parece ser uma opção razoável: os Autobots estrearam no início de julho e tiveram que disputar público com Harry Potter e a Ordem da Fênix e Os Simpsons: O Filme ao longo daquele mês, tal como logo Longe de Casa precisará competir com o aguardadíssimo O Rei Leão. Por isso, caso ele desempenhe como o filme de 2007 após seu primeiro fim de semana, ele sai de cartaz com ótimos US$ 380 milhões – bom o bastante para ser a segunda maior bilheteria americana do aracnídeo, atrás apenas do primeiro de Sam Raimi. Uma performance como a de O Espetacular Homem-Aranha, porém, que não foi bem recebido e caiu violentamente quando precisou competir com Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, seria o pior dos casos, mas ainda levaria Longe de Casa aos US$ 353,9 milhões.

 

Finalmente, caso ele desempenhe como De Volta ao Lar após seu sexto dia em cartaz, Longe de Casa consegue ultrapassar os US$ 400 milhões. Porém, talvez esta seja uma expectativa otimista até demais, afinal: os principais concorrentes do filme de 2017 foram ou muito adultos (Dunkirk, Planeta dos Macacos: A Guerra) ou muito infantis (Meu Malvado Favorito 3), e com isso ele foi capaz de se firmar como o único blockbuster para todas as idades por um bom tempo. Já Longe de Casa não terá a mesma vantagem, pois, como dito acima, logo vai precisar competir com O Rei Leão, que promete faturar horrores.

 

 

Na bilheteria internacional, após ter estreado na China, Japão e Hong Kong na última semana, Longe de Casa chegou agora a quase todos os seus mercados, com exceção apenas da Itália. Com isso, o filme faturou ótimos US$ 238 milhões na bilheteria internacional no último fim de semana. No total, ele tem agora US$ 395 milhões faturados fora dos EUA.

 

O longa bateu recordes de abertura para a Sony em 35 países, incluindo Coréia do Sul, México, Argentina, Índia, Indonésia, Taiwan e Vietnam. Em exibição em mais de 60 mercados, Longe de Casa alcançou um total 15% superior ao de Capitã Marvel e 46% acima do de De Volta ao Lar no mesmo conjunto de mercados. Já na China, onde o filme está em sua segunda semana, Longe de Casa despencou 69% em relação à abertura, conforme o título local The White Storm 2: Drug Lords estreou na primeira posição. Ainda assim, a nova aventura do Homem-Aranha tem ótimos US$ 167,4 milhões no país, ultrapassando Capitã Marvel para se tornar o segundo maior filme hollywoodiano de 2019 na China, atrás de Ultimato.

 

No total, somando a bilheteria americana e internacional, Longe de Casa possui US$ 577,7 milhões globalmente. Trata-se do sexto maior filme do ano globalmente, atrás apenas de Ultimato, Capitã Marvel, Aladdin, o longa chinês The Wandering Earth e Toy Story 4. Será este o primeiro filme do Homem-Aranha a passar do bilhão? Por enquanto, os sinais são promissores, mas vale lembrar que a estreia de O Rei Leão está chegando – o remake da Disney na verdade abre na semana que vem na China.

 

De toda forma, o que é certo é que este é mais um sucesso grandioso para o Homem-Aranha – e para o MCU.

 

Bilheteria EUA 05/07/19 a 07/07/19:

 

Filme Semanas em cartaz Renda no fim de semana (em US$) Renda acumulada (em US$)
1- Homem-Aranha: Longe de Casa 1 92.579.212 185.063.062
2- Toy Story 4 3 33.860.355 306.117.899
3- Yesterday 2 10.055.420 36.188.160
4- Annabelle 3: De Volta Para Casa 2 9.450.438 49.837.154
5- Aladdin 7 7.515.649 320.705.265
6- Midsommar: O Mal Não Espera a Noite 1 6.338.935 10.920.007
7- Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 5 4.675.595 140.658.930
8- MIB: Homens de Preto – Internacional 4 3.782.098 72.137.783
9- Vingadores: Ultimato 11 3.118.317 847.881.150
10- Rocketman 6 2.612.554 89.014.938

 

 

Leia TUDO SOBRE Homem-Aranha: Longe de Casa!

Agora que o artigo acabou, veja um vídeo do nosso canal!