O seu point Marvete da internet brasileira, e o maior site focado em Marvel do Brasil!

Homem-Aranha: Longe de Casa ultrapassa Batman de Nolan na bilheteria global!

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

CLIQUE NAS IMAGENS PARA ADQUIRIR O BLU-RAY OU DVD DE VINGADORES: ULTIMATO NA PRÉ-VENDA EXCLUSIVA DA AMAZON!

 

Homem-Aranha: Longe de Casa vai chegando ao final de sua carreira nas bilheterias mundiais tendo cumprido com louvor de se tornar o primeiro filme (solo) com o Cabeça de Teia a faturar mais de US$ 1 bilhão. Nos próximos dias, caso ele não caia muito, deverá se tornar a maior bilheteria global da história da Sony, em valores não ajustados.

 

Nos EUA, o longa despencou da quarta para a oitava posição (!), após a chegada de nada menos que quatro novas estreias aos cinemas americanos: o terror Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro (que abriu com números decentes), a aventura infantil Dora e a Cidade Perdida (que vai precisar de um desempenho acima da média daqui para a frente nos cinemas americanos e mundiais para não ficar no vermelho), o drama canino Meu Amigo Enzo e o thriller criminal baseado numa graphic novel da Vertigo Rainhas do Crime (esses dois últimos fracassaram miseravelmente). Seja como for, com a temporada de verão americana chegando ao fim, os últimos blockbusters a estrear vão arrecadando seus últimos valores antes de abrir espaço para os grandes lançamentos do segundo semestre. 

 

Nesse contexto, até que Longe de Casa não se saiu tão mal assim: o Cabeça de Teia arrecadou mais US$ 5,27 milhões e agora tem um total de US$ 370,9 milhões nos cinemas americanos. Trata-se da quinta maior bilheteria do ano nos EUA, e a maior para um longa que não foi distribuído pela Disney (à sua frente estão Vingadores: Ultimato, O Rei Leão, Capitã Marvel e Toy Story 4). E é provável que ele mantenha essa marca pois, dos blockbusters a chegar até o final de 2019, o único que parece ter alguma chance de alcançá-lo e ser o maior filme não pertencente à Disney do ano é seu colega de Sony, Jumanji: Próxima Fase, a sequência do filme de 2017 que chegou a surreais US$ 404,5 milhões nos EUA. Caso ele tenha um desempenho similar ao de Bem-Vindo à Selva, então ele poderá alcançar Longe de Casa, mas o mais provável é que o Jumanji anterior tenha excedido as expectativas de tal maneira que sua continuação não surpreenda tanto, o que é bem comum nas bilheterias americanas (pense em Os Vingadores e Era de Ultron, ou em O Cavaleiro das Trevas e O Cavaleiro das Trevas Ressurge).

 

Seja como for, Longe de Casa nos próximos dias deve ultrapassar Homem-Aranha 2 e se tornar a segunda maior bilheteria do Teioso nos EUA, atrás apenas do primeiro longa do herói, lançado há mais de 17 anos atrás. Claro, em valores ajustados pela inflação Longe de Casa está bem distante da clássica trilogia de Sam Raimi – os US$ 373,5 milhões que o lendário segundo filme do herói arrecadou em 2004 e os US$ 336,5 milhões do terceiro em 2007 seriam respectivamente US$ 542 milhões e US$ 440,7 milhões em valores atuais. De toda forma, não deixa de ser uma grande conquista para esta nova aventura do aracnídeo.

 

Longe de Casa é também a décima maior bilheteria do MCU não ajustada, uma posição que deverá ocupar por um bom tempo, pois o longa não parece ter forças para alcançar os US$ 389,8 milhões do nono colocado, Guardiões da Galáxia Vol. 2. Em valores ajustados, o longa ocupa a décima segunda posição, mas deverá subir para a décima primeira assim que deixar para trás os US$ 371 milhões ajustados do primeiro Guardiões da Galáxia. Entre os filmes solo do MCU, Longe de Casa só não levou mais gente aos cinemas nos EUA do que Homem de Ferro (seus US$ 318 milhões em 2008 seriam US$ 399,5 milhões em dólares atuais), Capitã Marvel, Homem de Ferro 3 e Pantera Negra.

 

Todos esses ótimos resultados foram conquistados graças a uma carreira robusta nos EUA. Mesmo enfrentando dura competição com O Rei Leão, Era Uma Vez em Hollywood e Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw, o longa teve quedas não muito grandes de um fim de semana para o outro, e conseguiu se sustentar de forma decente na bilheteria americana. No último fim de semana, no qual, além desses blockbusters, Longe de Casa precisou batalhar contra quatro novas estreias, ele caiu apenas 33,2% em comparação com o fim de semana passado. Trata-se da menor queda para um filme veterano entre as top 10 bilheterias americanas da semana (Hobbs & Shaw, por exemplo, caiu 58%, enquanto O Rei Leão despencou 47,5%). É um sinal de que o longa tem se mantido como uma boa opção para o público, mesmo com tanta variedade de filmes em cartaz.

 

O longa, aliás, caiu menos do que outros blockbusters lançados no início de julho em anos anteriores que também visavam se aproveitar do feriado de Dia da Independência nos EUA. Em agosto de 2007, o primeiro Transformers faturava US$ 3,2 milhões em seu sexto fim de semana, com uma queda de 46,3%. Quatro anos depois, sua continuação Transformers: O Lado Oculto da Lua despencou para a décima posição em seu sexto fim de semana após cair imensos 49,3%, faturando apenas US$ 3 milhões – embora, claro, enfrentasse competição com a estreia de Planeta dos Macacos: A Origem, bem como com Os Smurfs, Cowboys & Aliens, Capitão América: O Primeiro Vingador, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 e várias comédias adultas. Em 2012, O Espetacular Homem-Aranha despencava de maneira humilhante para fora do top 10 em seu sexto fim de semana, faturando apenas US$ 2,1 milhões (e queda de 52%), esmagado pelas estreias de O Legado Bourne e Os Candidatos, além de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, O Vingador do Futuro, A Era do Gelo 4, Ted, entre outros.

 

Na realidade, o desempenho de Longe de Casa é mais parecido com o de Homem-Aranha 2, que, em seu sexto fim de semana em agosto de 2004, caía para a sétima posição no ranking, com um faturamento de US$ 5,4 milhões e queda de 37% em relação à semana anterior. Na ocasião, o clássico de Sam Raimi brigava com a estreia de Colateral, além de A Vila, A Supremacia Bourne, Eu, Robô, entre outros, porém ele havia sido tão bem recebido que ainda se segurava de maneira decente após tanto tempo em cartaz. Ou seja, que Longe de Casa esteja tendo uma performance comparável à de Homem-Aranha 2 só demonstra o quão bem o longa tem se saído. 

 

Sendo assim, caso ele continue a desempenhar como a segunda aventura de Raimi a partir da sexta semana, Longe de Casa sai de cartaz com absurdos US$ 391 milhões. Porém, não estamos em 2004 e ir aos cinemas hoje em dia é muito diferente de na época em que o Homem-Aranha de Tobey Maguire batalhava com o Doutor Octopus em cima de um metrô em Nova York, portanto o mais provável é que o longa comandado por Jon Watts não tenha a mesma longevidade. Uma performance pós-sexta semana mais parecida com a de O Lado Oculto da Lua leva Longe de Casa aos US$ 380 milhões, o que parece ser um resultado mais plausível.

 

Na bilheteria internacional, o filme faturou mais US$ 5,3 milhões em 67 mercados. No total, ele possui ótimos US$ 726 milhões fora dos EUA. Trata-se do sétimo maior total internacional para um filme de heróis, e terceiro para um herói solo, atrás apenas de Aquaman (US$ 813 milhões) e Homem de Ferro 3 (US$ 806 milhões). 

 

Portanto, globalmente o longa possui US$ 1.096 bilhão. Trata-se da quarta maior bilheteria global do ano, atrás apenas de Ultimato (US$ 2.795 bilhões), O Rei Leão (US$ 1.337 bilhão) e Capitã Marvel (US$ 1.128 bilhão). Além disso, o longa ultrapassou também a bilheteria de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (US$ 1.085 bilhão) e agora é o 11º maior filme de heróis globalmente, bem como o quinto maior herói solo, perdendo apenas para Pantera Negra (US$ 1.347 bilhão), Homem de Ferro 3 (US$ 1.215 bilhão), Aquaman (US$ 1.148 bilhão) e Capitã Marvel (US$ 1.128 bilhão).

 

A última missão de Longe de Casa é ultrapassar os US$ 1.108 bilhão que 007: Operação Skyfall surpreendentemente conseguiu em 2012 (talvez por ser o blockbuster mais bem recebido a estrear nos últimos meses daquele ano, competindo com A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2 e O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, que tiveram críticas medianas) e assim se tornar o maior filme distribuído pela Sony na bilheteria global. Claro, tal vitória não é necessariamente obrigatória – tendo custado US$ 160 milhões, menos do que De Volta ao Lar, Longe de Casa será insanamente lucrativo para seu estúdio, e mais do que comprovou que ainda há muito público para novas aventuras com o Homem-Aranha de Tom Holland. No entanto, ultrapassar Operação Skyfall sedimentaria isso, e seria uma simbólica vitória para a Sony, que agora não tem mais os direitos de James Bond. 

 

Enfim, você acha que Longe de Casa vai ter fôlego para faturar mais US$ 11,6 milhões e ultrapassar o 007 de Daniel Craig? Comente com a gente!

 

Bilheteria EUA 09/08/19 a 11/08/19:

 

Filme Semanas em cartaz Renda no fim de semana (em US$) Renda acumulada (em US$)
1- Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw 2 25.265.795 108.379.575
2- Histórias Assustadoras para Contar no Escuro 1 20.915.346 20.915.346
3- O Rei Leão 4 20.205.322 473.309.148
4- Dora e a Cidade Perdida 1 17.431.588 17.431.588
5- Era Uma Vez em Hollywood 3 11.652.652 100.384.022
6- Meu Amigo Enzo 1 8.137.584 8.137.584
7- Rainhas do Crime 1 5.527.410 5.527.410
8- Homem-Aranha: Longe de Casa 6 5.277.572 370.950.062
9- Toy Story 4 8 4.525.439 419.703.807
10- BTS – Bring the Soul: The Movie 1 2.383.604 4.505.147

 

Leia TUDO SOBRE Homem-Aranha: Longe de Casa!

Agora que o artigo acabou, veja um vídeo do nosso canal!

Comentários

legadodamarveldisqus