O filme da Viúva Negra está cada vez mais longe de acontecer

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

Uma pergunta não para de ser feita desde que Natasha Romanoff surgiu chutando bundas em Homem de Ferro 2: quando a Viúva Negra terá o seu próprio filme? Ela já enfrentou alienígenas, robôs, terroristas e diversas outras ameaças, sempre em pé de igualdade, então nada mais justo que ela tenha um longa para chamar de seu. Infelizmente, isso não deve acontecer tão cedo.

Não tem nada a ver com o fato dela ser uma personagem feminina. Rey, Mulher-Maravilha, Furiosa, Lisbeth Salander e várias outras protagonistas já provaram o seu valor, seja em termos de narrativa ou de bilheteria. Essa história de que filmes protagonizados por mulheres não são tão legais é um mito que ficou no passado. Ou nem isso, já que antigamente podíamos contar com Sarah Connor e Ellen Ripley para salvar o dia. Sem falar que a Capitã Marvel da Brie Larson está vindo a toda velocidade com seu filme solo. Não, os motivos pra aventura solo da Viúva Negra são completamente diferentes.

“Alô, é da Marvel? Me vê um filme solo com muita ação e explosão.”

O primeiro deles é a adaptação do cultuado anime Ghost in the Shell, que foi lançada em terras brasileiras com o interessante nome de A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell. Não, a produção não tem nenhuma ligação com o Universo Marvel, o que nos interessa aqui é sua bilheteria. Protagonizado por Scarlett Johansson (que como você deve saber é a intérprete da Viúva Negra), o filme arrecadou apenas US$ 169 milhões. Para mim e pra você isso é grana pra cacete, só que pra um estúdio que investiu US$ 110 milhões na produção isso representa um fracasso de bilheteria. Existem inúmeras possibilidades para isso ter acontecido: a concorrência com outras produções (ele estreou duas semanas depois do live action de A Bela e a Fera, um dos maiores sucessos de 2017), a falta de marketing e a trama, que pode ter soado demasiadamente confusa para o público em geral.

No entanto, também prova que o badalado nome de Scarlett Johansson pode não ser o suficiente para vender um blockbuster lotar salas de cinema ao redor do mundo. Será que o resultado não teria sido diferente caso se tratasse de um filme da Marvel? O filme já tem um certo crédito com o povão, o que poderia resultar numa bela grana, não é mesmo? Esse será o próximo ponto.

Seria Joss Whedon o diretor perfeito para um filme da Viúva Negra?

Algo em comum entre os filmes da Marvel, além das cores e do senso de humor, são os superpoderes. Mesmo o Homem de Ferro, que é desprovido de qualquer habilidade especial com exceção da sua inteligência, parece ser super por causa de suas armaduras. Já a Viúva Negra é “apenas” uma espiã badass que luta pra caramba. Logo, um filme da personagem não teria super-vilões, catástrofes gigantescas e nem ameaças poderosas, sendo algo mais próximo das aventuras do 007 ou do Jason Bourne, um filmão de espião mesmo. Só que isso não acabaria destoando do que a Marvel Studios vem fazendo? Talvez seja apenas um equívoco, no entanto é provável que causasse um certo estranhamento na galera o estúdio que é conhecido por levar para as telonas adaptações de super-heróis lançar um filme de espionagem. Sem falar que, de certa forma, já tivemos isso em Capitão América: O Soldado Invernal, só que numa escala maior e com um clímax mais barulhento do que os já citados as tradicionais tramas de espião

Então quem sabe uma série da Netflix? Nelas as histórias são menores e o tom é diferente, o lugar perfeito para Natasha Romanoff e suas aventuras. Quer dizer, até seria, se não fosse o orçamento das produções da Netflix. Depois de cancelar séries caríssimas, como Marco Polo, The Get Down e Sense8, cujo custo de produção era algo em torno dos US$ 100 milhões por temporada, a gigante do streaming está em busca de produções mais baratas. E o que poderia ser tão caro numa série da nossa amada espiã ruiva? Pra começar, o cachê de sua protagonista, já que Scarlett Johansson tem o segundo maior salário do MCU, perdendo apenas para Robert Downey Jr (quem mais?, né?). Em Vingadores: Era de Ultron a moça recebeu nada mais nada menos que US$ 20 milhões por seu papel. E isso foi há 3 anos atrás, agora deve ser ainda mais caro escalar a atriz. Só para comparar, especula-se que cada episódio de Demolidor, Jessica Jones e Luke Cage custe entre US$ 3 milhões e US$ 4 milhões, o que resultaria numa temporada de mais ou menos US$ 40 milhões de dólares. É isso mesmo que você está pensando, apenas pagamento dela já equivale a meia temporada de um programa da Netflix.

“Poxa, Marvel, por que não me nota?”

A gente não quer desanimar ninguém, até porque a Marvel sempre foi conhecida em fazer apostas. Guardiões da Galáxia, Homem-Formiga, Doutor Estranho e Pantera Negra, todos eles foram visto com certa desconfiança quando seus respectivos filmes foram anunciados, em parte porque, tirando os ávidos fãs de HQ’s, poucas pessoas os conheciam. Já nossa querida Natasha está bem à frente deles, ela é conhecida e amada pela galera. Muito antes de se quer ser possível sonhar com um filme da Carol Danvers já haviam pedidos por um filme solo da Viúva Negra. Então, vamos lá, Marvel, faça mais essa aposta, dessa vez nem é tão arriscado assim 😉

Comenta aí, Marvete!

legadodamarveldisqus