Vingadores: Ultimato se aproxima de Avatar nas bilheterias!

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

 

Tecnicamente, Vingadores: Ultimato não foi exatamente “relançado” nos cinemas, uma vez que o longa ainda estava em cartaz nos EUA e em boa parte do mundo. Entretanto, a muito comentada versão expandida de fato fez o filme ser exibido em mais salas do que até então. Nos EUA, se até o fim de semana passado Ultimato estava em exibição em 985 cinemas no país, neste ele mais do que dobrou seu circuito, sendo exibido em 2.025 salas. 

 

Com isso, sua bilheteria americana cresceu mais de 200% em relação ao fim de semana anterior. O longa faturou mais US$ 6,1 milhões no fim de semana e viu seu total subir para incríveis US$ 841,8 milhões nos EUA. 

 

Sim, apesar de ter ficado em sétimo lugar no ranking do fim de semana, Ultimato não fez feio, mais uma vez mostrando a força dos fãs do MCU – que, convenhamos, certamente foram a maioria dos que decidiram comparecer à versão estendida do longa. Com estes resultados, Ultimato possui o 14º maior décimo final de semana da história nos EUA, com a maioria dos longas à sua frente tendo sido lançados no século passado, quando filmes levavam mais tempo para alcançar suas bilheterias – são longas como Titanic (claro), E.T.: O Extraterrestre, Crocodilo Dundee, Forrest Gump: O Contador de Histórias e O Sexto Sentido. Se considerarmos apenas os filmes lançados no século XXI, então os únicos que faturaram mais do que Ultimato no décimo final de semana são Avatar (US$ 16,2 milhões), Quem Quer Ser um Milionário (US$ 12 milhões), Frozen: Uma Aventura Congelante (US$ 8,9 milhões), Casamento Grego (US$ 8,2 milhões), O Discurso do Rei (US$ 7,3 milhões) e Chicago (US$ 7,2 milhões).

 

 

Então, sim, pode-se dizer que a versão expandida de Ultimato atraiu um público respeitável aos cinemas. Tal bilheteria ajudou a colocar o longa mais perto do total global de Avatar, quando nas últimas semanas alcançar o épico sci-fi de James Cameron parecia uma tarefa quase perdida. Entretanto, destronar Avatar (em valores não ajustados pela inflação, é sempre bom lembrar) não era o único propósito deste, na falta de uma palavra melhor, relançamento de Ultimato. O outro era ajudar a promover a estreia de Homem-Aranha: Longe de Casa, que está sendo vendido praticamente como uma continuação direta do quarto Vingadores.

 

É uma prática comum nos cinemas, quando o novo capítulo de uma franquia está prestes a estrear, relançar seus predecessores nos cinemas como forma de engajar os fãs. Nos últimos anos, isso tem funcionado de forma um pouco diferente no MCU, especialmente quando o filme predecessor não saiu realmente dos cinemas nos dias que precedem a estreia do novo capítulo. De toda forma, isso tem sido bastante benéfico, tanto para o longa mais antigo como para o mais novo lançamento da Marvel. 

 

Conforme os filmes do MCU foram sendo lançados muito próximos uns dos outros, uma tendência curiosa surgiu nas bilheterias americanas: quando se aproximava a estreia do novo longa, o seu antecessor mais antigo, ao invés de decair, experimentava uma espécie de ressurgimento nas bilheterias, enquanto os fãs se preparavam para assistir à nova aventura revendo a antiga. Em abril de 2018, no fim de semana imediatamente anterior à estreia de Vingadores: Guerra Infinita, Pantera Negra, então em sua décima semana em cartaz, sofreu uma queda de apenas 14,6% nas bilheterias americanas. Quando o terceiro Vingadores chegou aos cinemas quebrando recordes, Pantera, ao invés de decair, subiu para quinto lugar no ranking, sofrendo uma queda minúscula de 4% nas bilheterias. Um ano depois, quando a carreira de Capitã Marvel já parecia encerrada, a aventura obteve uma bilheteria 5% superior no fim de semana que precedeu a estreia de Ultimato, e então caiu apenas 8% frente à colossal abertura do encerramento da Saga do Infinito.

 

 

Pantera Negra, por sinal, faturou mais US$ 22,3 milhões desde a semana que precedeu a abertura de Guerra Infinita, o que foi essencial para que o longa chegasse aos US$ 700 milhões nos EUA. Já Capitã Marvel conquistou mais US$ 32,6 milhões a partir da sexta-feira antes da abertura de Ultimato, dando ao longa o gás necessário para ultrapassar outros filmes de ação estrelados por mulheres, como Mulher-Maravilha e Jogos Vorazes: Em Chamas. Portanto, estrear os filmes do MCU um perto do outro é benéfico tanto para o que está em cartaz há mais tempo, quanto para o que vai estrear. Por outro lado, ninguém esperava que algo similar ocorresse em relação a Ultimato e Longe de Casa, simplesmente porque, diferentemente dos longas estrelados por Chadwick Boseman e Brie Larson, o quarto Vingadores esgotou sua demanda com extrema rapidez. Por outro lado, a tal versão estendida do filme foi exatamente o incentivo necessário para que esta tendência se perpetuasse.

 

Com isso, se antes parecia que Ultimato estava fadado a encerrar sua carreira tendo faturado menos de US$ 840 milhões nos EUA, agora o longa ganhou uma chance de bater mais uma marca na bilheteria americana. No caso, caso este novo gás proporcionado pela versão expandida e pela proximidade com Longe de Casa leve o longa a ultrapassar US$ 848 milhões, então ele estará deixando para trás os US$ 847,4 milhões ajustados pela inflação de O Retorno de Jedi. Com isso, Ultimato se tornaria não apenas o 16º maior filme da história em valores ajustados, como também seria o sexto filme lançado nos últimos 40 anos que mais levou pessoas aos cinemas americanos.

 

Fora dos EUA, a versão estendida de Ultimato foi lançada em alguns mercados selecionados e faturou mais US$ 2,3 milhões. Com isso, a bilheteria internacional do longa chegou a US$ 1.92 bilhão, a segunda maior da história, novamente atrás de Avatar e seus inexplicáveis US$ 2.02 bilhões.

 

 

Somando as bilheterias americana e estrangeira, Ultimato possui US$ 2.76 bilhões, e agora está a apenas US$ 23 milhões de distância de Avatar. É preciso dizer, porém, que mesmo com a tal versão estendida, será muito difícil para o longa alcançar o premiado longa de Cameron (que, por sua vez, também foi relançado em uma versão estendida, nove meses após sua exibição inicial). Claro, alguns mercados ainda devem receber a nova versão dos Heróis Mais Poderosos da Terra, incluindo o Brasil a partir de 11 de julho, conforme anunciado pela própria Marvel. Mesmo assim, talvez isso não seja o suficiente para que Ultimato consiga superar Avatar.

 

Por outro lado, mais até do que a própria Disney, são os fãs da Marvel que estão torcendo para que isso aconteça. A Casa do Mickey, por sua vez, já lucrou horrores com Ultimato e ainda por cima agora possui Avatar, lançado originalmente pela Fox, sob seu catálogo. Com isso, eles poderão vender Avatar 2 como a continuação da maior bilheteria global da história, o que será um gancho necessário para o marketing. Diferentemente dos heróis do MCU, ninguém parece ser capaz de nomear os protagonistas do épico de Cameron, o planeta onde a história se passa ou a raça de alienígenas que o longa retrata sem antes buscar no Google. 

 

No fim das contas, Avatar pode até ter feito mais dinheiro. Mas serão os Vingadores os heróis que marcaram uma geração de cinéfilos. 🙂

 

Bilheteria EUA 28/06/19 a 30/06/19:

 

Filme Semanas em cartaz Renda no fim de semana (em US$) Renda acumulada (em US$)
1- Toy Story 4 2 59.700.331 238.690.140
2- Annabelle 3: De Volta Para Casa 1 20.269.723 31.104.182
3- Yesterday 1 17.010.050 17.010.050
4- Aladdin 6 10.114.122 306.632.068
5- Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 4 7.320.435 131.432.435
6- MIB: Homens de Preto – Internacional 3 6.686.491 65.167.002
7- Vingadores: Ultimato 10 6.108.736 841.889.897
8- Brinquedo Assassino 2 4.429.543 23.557.942
9- Rocketman 5 3.936.302 84.240.262
10- John Wick 3: Parabellum 7 3.249.345 161.389.433

 

Leia TUDO SOBRE Vingadores: Ultimato!

Agora que o artigo acabou, veja um vídeo do nosso canal!

Comentários

legadodamarveldisqus