O Aranha não vai ser o próximo grande herói dos filmes da Marvel

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

Em um determinado momento de Capitão América: O Soldado Invernal, Bucky Barnes segura o icônico escudo de vibranium do bandeiroso e, por um breve instante, a câmera mantém o foco nele. Pode não parecer muita coisa, mas isso já foi o suficiente para fazer muitos cantarem a bola de que o fim da Era Steve Rogers no cinema estava chegando ao fim, e que aquele rapaz com um braço de metal iria ser seu substituto.

 

Ora, nos quadrinhos Steve Rogers, Tony Stark, Bruce Banner e companhia podem até ser imortais, com décadas e mais décadas de aventuras, só que no cinema eles são interpretados por atores de carne e osso, como eu e você. E esses atores, apesar das plásticas e procedimentos estéticos, envelhecem. Talvez o exemplo mais recente seja Hugh Jackman, que depois de 17 anos interpretando o canadense mais invocado que você respeita, se aposentou do papel. Tobey Maguire, que nem passou tanto tempo assim como o Cabeça de Teia, em seu 3° filme já reclamava de dores nas costas causadas pelas acrobacias do personagem.

 

Também não podemos esquecer da parte financeira da questão. Quanto mais filmes, mais caros ficam os atores. Robert Downey Jr., mesmo não sendo o protagonista de Capitão América: Guerra Civil, recebeu de longe o maior cachê do longa: US$ 40 milhões. Por que tudo isso? Alguns podem não se lembrar, mas na época em que Os Vingadores chegou aos cinemas foi revelado que o ator fez um acordo para receber de 5% à 7% da bilheteria total do filme. Desde então ele vem recebendo uma bolada milionária para voltar a viver o gênio do cavanhaque. Só que não para por aí, em Capitão América: O Primeiro Vingador Chris Evans recebeu apenas US$ 300 mil, já no segundo filme dos Heróis Mais Poderosos da Terra o galã dos dentes perfeitos estava faturando US$ 6,9 milhões. Scarlett Johansson, intérprete da Viúva Negra, é indiscutivelmente uma das atrizes mais elogiadas da atualidade, o que lhe rendeu 20 milhões de verdinhas para viver a espiã ruiva em Era de Ultron. Ou seja, o elenco está ficando extremamente caro, uma hora não vai compensar trazer esses nomes para mais uma aventura.

 

Elenco de Vingadores reunido na Comic Con 2010 para anunciar o filme.

 

Para muitos, Robert Downey Jr, Chris Evans, Scarlett Johansson e o restante do elenco são insubstituíveis, inigualáveis e blábláblá. Toda aquela ladainha que se ouviu quando o Tobey Maguire foi trocado pelo Andrew Garfield. Pudemos ter um gostinho disso com Logan, que veio acompanhado de inúmeros textões dizendo o quão bem Hugh Jackman havia encarnado o mutante, que ninguém nunca iria ser um Wolverine tão bom quanto ele. Menos, né?  Eles fizeram um ótimo trabalho, o que não impede que outros atores façam um trabalho melhor no futuro. Muitos vestiram o manto do Homem-Morcego antes de Christian Bale se tornar o favorito dos cinéfilos.  Ou será que esse título pertence ao Ben Aflleck? Voltando à Marvel, substitui-los agora, quando eles ainda estão frescos na lembrança dos fãs, talvez seja um pouco precipitado. A atitude mais apropriada seria dar destaque a outros personagens. Mas quem?

 

Eu sei qual nome você pensou: Homem-Aranha. Um herói jovem, carismático, icônico, querido por todos, que enfrenta os mesmos problemas das pessoas comuns (falta de grana, contas pra pagar, desentendimentos com a namorada) e com uma fama já estabelecida entre o grande público. Não, eu não vou discordar de você, Peter Parker é tudo isso e muito mais. É o herói que o MCU precisa para os próximos anos. Poderíamos ver o Amigão da Vizinhança amadurecer diante de nossos olhos, ir da adolescência para a vida adulta de filme em filme, da mesma forma que aconteceu com o Harry Potter. Seria perfeito, não seria? Só falta avisar isso pra Sony.

 

Como pudemos ver no último domingo (17/06), Kevin Feige (Marvel Studios) e Amy Pascal (Sony) parecem ainda não ter entrado num acordo sobre a participação do Venom, da Gata Negra e de outros personagens universo do Homem-Aranha no MCU. Feige já vinha afirmando há algum tempo que o longa do simbionte não teria nenhuma ligação com as produções Marvel, sem falar que Jon Watts, diretor de De Volta ao Lar, havia dito em uma entrevista que o seu longa não teria relação alguma com o derivado do Venom. Só esqueceram de falar isso para dona  Amy Pascal, que ao ser perguntada sobre isso, disse que sim, Venom, Gata Negra e Sabre de Prata iriam habitar o mesmo universo que o Aranha e os Vingadores. Ainda sobre o assunto, ela falou que pode ser que eles não estejam juntos e nem na mesma cidade, mas é com toda certeza o Marvel Cinematic Universe. Mais ou menos como as séries de TV, o Coulson num canto, os Defensores no outro, algumas referências espalhadas. Ao lado da produtora da Sony, estava Kevin Feige (de boné, vale ressaltar) com cara de tacho.

 

 

Aí a internet ficou louca, teve gente comemorando a notícia, criando teorias de que Peter Parker ganharia o icônico uniforme negro em Guerra Infinita e até fazendo memes com a reação do chefão da Marvel Studios. Foram poucos os que se deram conta de um detalhe muito importante: o Universo Cinematográfico da Marvel tem esse nome porque ele é uma propriedade da Marvel. Sim, o Aranha está inserido nele graças ao acordo que as duas empresas fizeram, no entanto a Sony não tem nenhuma liberdade para decidir os rumos do MCU. Na verdade, muita coisa precisa ser esclarecida sobre a parceria feita entre a Casa das Ideias e a Casa dos PlayStations. Não é algo vantajoso para ambas as parte, a Sony tem a ajuda da direção criativa da Marvel Studios (que fez Homem de Ferro, Thor, Guardiões da Galáxia, Doutor e outros serem o sucesso que são hoje) e fica com toda a grana arrecadada por De Volta ao Lar (isso mesmo, nada de divisão meio a meio), já a Marvel pode usar o Teioso em suas produções. Explicando de forma bem resumida, a Sony fica com toda grana enquanto o personagem que é propriedade dela aparece numa franquia de sucesso. É como se a Marvel recuperasse a bicicleta roubada da Sony e em troca ganhasse um churros.

 

Porém, essa linda história de amor não deve durar muito tempo se Amy Pascal continuar insistindo nessa tecla. Ou ela aceita que apenas o Aranha faz parte desse universo ou o acordo entre os estúdios corre um sério risco de ser desfeito. O que os executivos da Sony parecem não ter percebido é que eles não precisam do Peter Parker em seu Universo Compartilhado do Aranha. Existem inúmeras outras versões do personagem que poderiam ser usadas nas telonas pela tia Amy. O Miles Morales tá aí, fazendo sucesso com a galera nos gibis, aparecendo em desenho animado, por que não ele?* No futuro, quem sabe, Peter e Miles poderiam se encontrar numa versão cinematográfica do arco Spider-Verse, algo construído aos poucos, ao longo dos anos, um verdadeiro filme evento como foi com Vingadores em 2012. Se os executivos tivessem parado cinco minutinhos para pensar poderiam ter chegado em inúmeras possibilidades melhores do que inserir os coadjuvantes do Aranha  à força nos planos do Kevin Feige.

 

Deixemos esses desentendimentos de lado, digamos que tudo se acerte, que Venom seja um filme à parte sem ligação alguma com os outros filmes da Casa das Ideias. Estaria tudo certo pro jovem Parker brilhar nas telonas, certo? Nem tanto. A gigante dos eletrônicos já demonstrou que não pretende levar a parceria com a Marvel Studios muito longe. Caso De Volta ao Lar faça sucesso, faturando mais que seus antecessores, nada impede que o sucesso suba a cabeça da Sony, fazendo ela achar que não precisa mais daquela mãozinha do tio Feige. Vindo do estúdio que cogitou lançar um filme sobre a Tia May, não é nada absurdo pensar nessa possibilidade. Se o bilhão vir é bem possível que o aprendiz comece a achar que virou mestre.

 

 

Muitos mitos nessa foto… tirando a Amy Pascal, né?

 

Se na melhor das hipóteses nada disso rolar e o Homem-Aranha continuar participando das produções marvetes, ainda assim ele não poderia se tornar a grande estrela das próximas fases. Ele ainda pertence à Sony, não seria vantajoso para a Marvel fazer planos com um personagem que lhe traz lucros apenas com venda de bonecos, lancheiras, cadernos e afins. Os Guardiões da Galáxia, Doutor Estranho, Capitã Marvel, Pantera Negra e Soldado Invernal são substitutos mais prováveis para quando Robert Downey Jr. e Chris Evans resolverem dizer adeus, até porque a grana gerada por eles não precisa ser dividida com ninguém. Eles podem virar queridinhos da galera da mesma forma que aconteceu com a atual formação dos Vingadores. Já o Aranha, bem, o destino dele é meio incerto, a Marvel ou qualquer outro estúdio não investiria tempo nem dinheiro em um personagem que quase não lhe traz retorno. Talvez seja apenas pessimismo apostar em seu sumiço, mas tudo poderia ser resolvido com um breve diálogo…

 

Durante uma batalha com um exército genérico de robôs ou aliens, Rhodes pergunta pro Stark:

– Ei, Tony, cadê aquele moleque que ajudou a gente a derrubar o Scott aquela vez no aeroporto?

– Sei lá, deve ter ficado em casa fazendo o dever de casa.**

 

E assim terminaria a jornada de Tom Holland, antes de completar 17 anos como Homem-Aranha ou de começar a sentir dor nas costas. Logan só virou realidade por causa dos lucros estratosféricos de Deadpool, Hugh Jackman ter topado receber menos também foi um grande incentivo. Também é bom lembrar que o afastamento de Tobey Maguire não foi causado pelas excruciantes dores que o rapaz sentia, ah não, o real motivo foi porque ele só faria mais um 4° Homem-Aranha se Sam Raimi continuasse na direção. Pros grandes estúdios, ouvir elogios dos fãs é de suma importância, mas o dinheiro sempre fala mais alto.

 

*Ótima ideia Dudu, nunca teria pensado nisso.

** Valeu Yuri.

Comenta aí, Marvete!

legadodamarveldisqus