PUBLICIDADE

Shang-Chi: Entenda os fatores que prejudicaram a bilheteria internacional

Shang-Chi, novo filme da Marvel Studios, teve sua bilheteria internacional prejudicada por alguns fatores - saiba mais.

PUBLICIDADE

Só na bilheteria americana Shang-Chi já faturou quase US$ 200 milhões. Porém, fora da América do Norte, o longa arrecadou menos do que isso: apenas US$ 167 milhões. Com isso, seu total global é de US$ 363,3 milhões.

Assim, se nos EUA o lutador já é de longe a maior bilheteria do ano (e, aliás, da pandemia), na bilheteria mundial Shang-Chi está em sexto lugar. Ele se vê atrás de dois filmes chineses (Hi, Mom e Detective Chinatown 3) e dos hollywoodianos Velozes & Furiosos 9 (US$ 716 milhões), Godzilla vs Kong (US$ 468 milhões) e Viúva Negra (US$ 373 milhões).

PUBLICIDADE

Como dá para ver, existe um abismo entre os dois longas da Marvel deste ano e a dupla formada por GvK e Velozes 9. E este abismo tem nome: China. Apesar dos chineses amarem filmes de heróis americanos, principalmente os do MCU (Vingadores: Ultimato é a maior bilheteria para um filme estrangeiro no país), em 2021 nem Viúva nem Shang-Chi chegaram a ser exibidos por lá.

E a falta do mercado chinês certamente custou à espiã e ao Mestre do Kung Fu uma bilheteria muito maior, talvez beirando a casa dos US$ 600 milhões. Isso foi pior ainda para Shang-Chi, o primeiro longa da Marvel Studios protagonizado e dirigido por artistas de descendência asiática. Em condições ideais, Shang-Chi poderia ter arrecadado um total similar aos de Homem-Aranha: Longe de Casa (US$ 200 milhões) ou Venom (US$ 269 milhões) no mercado chinês.

PUBLICIDADE

E por que Shang-Chi não está sendo exibido nos cinemas chineses? Devido a um conjunto de fatores que incluem a má recepção ao trailer do filme pelo público do país, que temeu a possibilidade de ter sua cultura estereotipada, além de, nas redes sociais chinesas, internautas terem resgatado uma polêmica de Simu Liu sobre o país (saiba mais aqui).

PUBLICIDADE

Mesmo assim, existem outros países afora à China que poderiam contribuir com a bilheteria, certo? Não se o coronavírus deixar: segundo o analista do mercado cinematográfico Scott Mendelson na Forbes, quase todo o Sudeste Asiático, um território no qual Shang-Chi poderia faturar números excelentes, se encontra fechado por causa da pandemia. Mercados importantes como Austrália, Japão e Coréia do Sul também se encontram comprometidos pela Covid-19 – 60% dos cinemas australianos estão fechados.

Claro, fora dos EUA Shang-Chi segue tendo uma performance decente na América Latina (principalmente no Brasil) e na Europa. No entanto, o fato de não poder contar com uma série de mercados no Oriente e na Oceania foi bastante prejudicial à bilheteria global que o filme poderia ter tido.

PUBLICIDADE

 

       LEIA TAMBÉM!

 

PUBLICIDADE
rtc-config='{ "urls": ["https://udr.uol.com.br?tag=publicidade&fmt=amprtc","https://page-context.uol.com.br/api/get-amp-page-context?url={{escapeURL}}"], "vendors": {"prebidappnexuspsp": {"PLACEMENT_ID": "24660215"}}, "timeoutMillis": 1000}' class="i-amphtml-layout-fixed i-amphtml-layout-size-defined" style="width:320px;height:50px" i-amphtml-layout="fixed">

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis traz um elenco quase que totalmente formado por asiáticos, assim como toda a equipe criativa por trás da produção! O elenco conta com Simu Liu como o protagonista. Estão confirmados também a vencedora do Globo de Ouro Awkwafina, em papel ainda não confirmado.

O veterano Tony Leung será o VERDADEIRO Mandarim. Com roteiro de Dave Callaham (Godzilla, Os Mercenários, Mulher-Maravilha 1984) e direção de Destin Daniel Cretton (Temporário 12, O Castelo de Vidro). O filme FINALMENTE está em exibição nos cinemas brasileiros, tendo estreado no dia 2 de Setembro de 2021!

Leia TUDO SOBRE Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis!

PUBLICIDADE

Sair da versão mobile