Super-heróis em 2018 – Ranking da maior para a menor bilheteria! Parte 1: Estados Unidos!

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

 

2018 foi o ano onde os super-heróis atingiram o ápice. Tivemos nada menos que duas animações de heróis indicadas ao Oscar de Melhor Animação, com uma delas, produzida pela Marvel, levando o prêmio para casa. Tivemos um game do Homem-Aranha que se tornou um dos mais vendidos e premiados do ano. Tivemos até mesmo um filme de heróis sendo indicado nas categorias principais do Oscar, levando nada menos que 3 estatuetas para casa. E, claro, tivemos milhões (bilhões?) de ingressos sendo vendidos para os longas do gênero, que foram quase uniformemente um sucesso nas bilheterias.

 

Foi um ano cheio e para todos os gostos. O MCU lançou nada menos que dois filmes que entrarão para a história do cinema de super-heróis por motivos diferentes, Pantera Negra pela representação racial e recepção crítica, e Vingadores: Guerra Infinita por unir tantos personagens de filmes diferentes em um embate épico contra o vilão Thanos. Ambos se tornaram partes imperdíveis da cultura pop em 2018, ressoando com as audiências – quem não se lembra dos memes sobre o trágico final de Guerra Infinita? Não podemos nos esquecer também de Homem-Formiga e a Vespa, o divertido filme do estúdio que fez o público se esquecer do tom pesado de Guerra Infinita, bem, ao menos até a cena pós créditos.

 

A Fox, no que provavelmente será um dos últimos filmes de heróis que irá lançar antes de ser absorvida pela Disney, foi bem sucedida em trazer o Mercenário Tagarela de volta em Deadpool 2, que mesmo sendo restrito para maiores e competindo com Guerra Infinita, conseguiu tornar-se uma das maiores bilheterias para os mutantes nos cinemas. O estúdio inclusive tentou arriscar algo diferente com o filme, lançando-o numa versão própria para menores que foi exibida na China, o que permitiu que o longa ultrapassasse o primeiro. Enquanto isso, a família de heróis mais querida dos cinemas retornou em Os Incríveis 2, que foi um sucesso absurdo de bilheteria no meio do ano, especialmente nos EUA.

 

 

A desacreditada Sony também teve um grande ano, especialmente no que se refere ao Cabeça de Teia e seu universo. A empresa lançou o game do Homem-Aranha com grande sucesso e descobriu que as pessoas de fato assistiriam a um filme sobre um vilão do Teioso sem a presença do herói, com Venom arrecadando horrores ao redor do mundo e se tornando uma sensação na China. O simbionte pode não ter feito muito sucesso com os críticos, porém Homem-Aranha no Aranhaverso foi recebido com elogios quase unânimes. Com ótimas críticas e bilheteria decente, o filme sobre Miles Morales foi o vencedor do Oscar de Melhor Animação.

 

2018, aliás, foi tão frutífero para os heróis que até o tão criticado DCEU teve seu próprio megahit. Carregado por uma carismática performance de Jason Momoa, Aquaman superou a desconfiança para se tornar um dos maiores sucessos do ano, faturando mais de US$ 1.1 bilhão ao redor do planeta – mais do que qualquer filme estrelado pelo Batman, Superman ou Mulher-Maravilha. Mas a DC também teve outro filme lançado em 2018, que apesar de elogiado, não atraiu tanto público assim. Não lembra qual foi? Uma dica: é baseado numa animação tão sarcástica e quebradora da quarta parede quanto o Deadpool. 🙂

 

Por isso, nessa série de matérias especiais do Legado, nós vamos olhar para trás e rankear os filmes de heróis de 2018 da maior para a menor bilheteria. Na primeira parte, abordaremos a bilheteria americana, na segunda falaremos do Brasil, e por fim na terceira iremos cobrir a bilheteria mundial. Vem conferir!

 

1º Lugar: Pantera Negra

 

 

Data de estreia nos EUA: 16/02/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 202.003.951

Bilheteria final nos EUA: US$ 700.059.566

 

Se você voltasse um ano atrás no tempo e dissesse que Pantera Negra teria uma bilheteria maior nos EUA do que Guerra Infinita, provavelmente te chamariam de louco. Entretanto, foi justamente isso o que aconteceu, com a aventura estrelada por Chadwick Boseman se tornando apenas o terceiro filme na história a ultrapassar a marca dos US$ 700 milhões em bilheteria nos Estados Unidos.

 

A histórica performance de T’Challa na bilheteria americana começou já no seu fim de semana de estreia. O filme se tornou o sexto a abrir com mais de US$ 200 milhões, superando o fim de semana de estreia de Vingadores: Era de Ultron e se tornando então o segundo maior do MCU. A segunda-feira seguinte foi feriado nos EUA e o filme aproveitou para faturar mais US$ 40 milhões, superando Star Wars: Os Últimos Jedi para se tornar o segundo filme que rendeu mais dinheiro em quatro dias.

 

Ao longo de cinco finais de semana, T’Challa foi o líder das bilheterias nos Estados Unidos, derrotando concorrentes como Uma Dobra no Tempo e Tomb Raider: A Origem para se tornar apenas o quarto longa em 20 anos a atingir tal feito, junto com Titanic, O Sexto Sentido e Avatar. O filme bateu com facilidade (e com grande velocidade) as marcas dos US$ 300 milhões, US$ 400 milhões, US$ 500 milhões e US$ 600 milhões, deixando Titanic para trás em seu 51º dia nos EUA.

 

 

Pantera Negra se tornou um evento de proporções gigantescas nos EUA. Conduzido pelo boca a boca e atraindo aos cinemas até quem não é fã de super-heróis, o longa comandado por Ryan Coogler esmagou os concorrentes e obteve aquilo que Guerra Infinita não conseguiu: longevidade nas bilheterias após o fim de semana de estreia. Claro, para ser justo, Pantera enfrentou adversários bem mais fracos nas bilheterias do que os Vingadores.

 

No total, Pantera é o terceiro maior filme da história nas bilheterias americanas, atrás de Avatar e Star Wars: O Despertar da Força. Em valores ajustados pela inflação, o longa fica em 30º lugar, sendo o segundo filme de heróis que mais levou pessoas aos cinemas americanos, atrás apenas do primeiro Vingadores.

 

Nada mal para o primeiro filme-solo de T’Challa nos cinemas, não concorda? A única questão é: será que Pantera Negra 2 vai conseguir igualar ou superar essa performance? E clique aqui para conferir de forma mais detalhada todos os recordes que o filme quebrou desde a estreia.

 

2º Lugar: Vingadores: Guerra Infinita

 

 

Data de estreia nos EUA: 27/04/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 257.698.183

Bilheteria final nos EUA: US$ 678.815.482

 

O aguardadíssimo Vingadores: Guerra Infinita chegou aos cinemas de forma explosiva: o filme faturou absurdos US$ 257,6 milhões em seu fim de semana de estreia nos EUA, superando a abertura de O Despertar da Força. Os fãs, afinal, estavam ansiosíssimos para conferir o embate dos Vingadores com o vilão Thanos, prometido havia anos pela Marvel Studios. Grande parte de sua ótima bilheteria de estreia veio de performances grandiosas no sábado e no domingo, em matinês lotadas de crianças, adolescentes e jovens.

 

No fim de semana seguinte, foram mais US$ 114,7 milhões, conduzidos por mais ótimas performances no sábado e domingo, levando o total do filme para acima dos US$ 450 milhões de forma veloz. Enquanto o longa não teve concorrência, ele reinou absoluto.

 

Os problemas começaram a partir de sua quarta semana, quando Deadpool 2 estreou de forma adiantada. Na sequência, vieram Han Solo: Uma História Star Wars, Oito Mulheres e um Segredo e Os Incríveis 2, complicando ainda mais a situação de Guerra Infinita. Um dos principais motivos pelo qual o longa não conseguiu alcançar Pantera Negra foi a forte concorrência que chegou nas semanas seguintes.

 

 

Além disso, é preciso reconhecer que, enquanto Pantera é um filme separado, que pode ser assistido até por quem nunca viu um filme do MCU na vida, Guerra Infinita é a culminação de diversos longas diferentes, que precisam ser assistidos para entender o que está acontecendo. Dessa forma, enquanto Pantera apelou para um público mais amplo do que as pessoas que apenas curtem filmes de heróis, Guerra Infinita foi feito justamente para os fãs do MCU. Ainda assim, quando sua base de fãs vale US$ 678 milhões em bilheteria, isso significa um público bem grande, não concorda?

 

Então, se você foi um dos que adorou o longa, não precisa ficar triste por ele ter sido superado por Pantera nos EUA. Afinal, ele ainda é a quarta maior bilheteria da história na bilheteria americana e a 35ª maior quando ajustada pela inflação. Trata-se também do quarto filme de heróis a botar mais pessoas dentro dos cinemas americanos, atrás apenas do primeiro Vingadores, Pantera Negra e Batman: O Cavaleiro das Trevas.

 

Afora isso, o longa foi um verdadeiro evento cultural entre o público, gerando memes, debates e entregando um vilão que marcará uma geração inteira de jovens cinéfilos. O Thanos interpretado por Josh Brolin entrou para a história do cinema, e não só pelos inovadores efeitos visuais que foram utilizados para trazê-lo à vida.

 

A grande questão é: será que Vingadores: Ultimato conseguirá ser um evento tão grande quanto seu antecessor? É o que vamos ver a partir de abril.E clique aqui para conferir de forma mais detalhada todos os recordes que o filme quebrou desde a estreia.

 

3º Lugar: Os Incríveis 2

 

 

Data de estreia nos EUA: 15/06/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 182.687.905

Bilheteria final nos EUA: US$ 608.581.744

 

13 anos e meio de espera gerou imensa ansiedade nos fãs do primeiro Os Incríveis, que clamavam por uma continuação desde 2004. Desse modo, Os Incríveis 2 tornou-se um evento, atraindo não apenas as famílias com crianças que já assistem normalmente as animações da Pixar nas telonas, como também jovens adultos, que haviam crescido com a primeira aventura de Beto e Helena Pêra.

 

Desse modo, Os Incríveis 2 explodiu todas as expectativas já no fim de semana de estreia. O longa começou faturando bons US$ 71,6 milhões em sua primeira sexta-feira, o que é absurdamente alto para uma animação. No sábado, foram outros US$ 58,8 milhões, o que representa o décimo maior sábado de abertura da história nos EUA, enquanto no domingo foram mais absurdos US$ 52,2 milhões – para se ter uma ideia, trata-se de um domingo maior que o de Os Últimos Jedi, Vingadores: Era de Ultron e A Bela e a Fera. Tudo isso totalizou um fim de semana super-heroico de US$ 182,6 milhões para Os Incríveis 2, o oitavo maior da história, superando blockbusters do calibre de Capitão América: Guerra Civil e Homem de Ferro 3. Trata-se também do maior fim de semana de estreia para uma animação, deixando os US$ 135 milhões de Procurando Dory comendo poeira.

 

No fim de semana seguinte, foram mais ótimos US$ 80,3 milhões, levando o total do filme para cerca de US$ 350 milhões. O filme bateu rapidamente as marcas dos US$ 400 milhões, US$ 500 milhões, US$ 550 milhões (ultrapassando o total não ajustado de O Cavaleiro das Trevas) e por fim US$ 600 milhões. Os Incríveis 2 desempenhou nos EUA não como uma animação típica, mas sim como um blockbuster de proporções épicas, do tamanho de um Star Wars ou de um Vingadores da vida. Apesar de não ser baseada em nenhum quadrinho, o longa da Pixar deixou para trás todos os filmes da DC, da Fox e da Sony e quase todos do MCU com exceção de três, Pantera Negra, Guerra Infinita e o primeiro Vingadores.

 

 

No total, Os Incríveis 2 é a quarta maior bilheteria americana da história para um filme de super-heróis e a nona maior em geral, ficando pouca coisa atrás de Os Últimos Jedi e Os Vingadores. Trata-se também da maior animação da história, em valores não ajustados pela inflação.

 

Já em valores ajustados, o longa é o 6º filme de heróis que mais levou pessoas aos cinemas dos EUA, atrás de Os Vingadores, Pantera Negra, O Cavaleiro das Trevas, Guerra Infinita e o primeiro Homem-Aranha de Sam Raimi. Trata-se também da 8ª animação em valores ajustados, perdendo apenas para Branca de Neve e os Sete Anões, 101 Dálmatas, Fantasia, Mogli: O Menino Lobo, A Bela Adormecida, Shrek 2 e Pinóquio – ou seja, apenas outros sete desenhos animados levaram mais pessoas aos cinemas do que Os Incríveis 2, a maioria deles animações antigas da Disney que foram relançadas várias vezes através das décadas.

 

Tendo faturado tanto dinheiro assim, só podemos torcer para que a Pixar não demore muito a produzir uma terceira aventura da família Incrível!

 

4º Lugar: Aquaman

 

 

Data de estreia nos EUA: 21/12/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 67.873.522

Bilheteria final nos EUA: US$ 332.990.756 (e contando)

 

De todos os heróis da DC, o Aquaman foi sem dúvidas o que mais sofreu com piadinhas ao longo dos anos. Seja ridicularizando seus poderes (falar com peixes? Sério?) ou seu visual, muitos duvidavam que o herói pudesse ser levado a sério, ainda mais nas telonas do cinema. Bem, todos os que antes riam de Arthur Curry tiveram que engolir o sucesso absurdo que a primeira aventura solo do herói nas telonas conquistou, quando se tornou a principal sensação da temporada de Natal.

 

Diferentemente dos seis anos anteriores, não havia um grande épico de fantasia, como O Hobbit ou Star Wars em dezembro para dominar a temporada de Natal, então coube a Aquaman exercer esse papel. O longa abriu com US$ 67,8 milhões em seu primeiro fim de semana e US$ 105,4 milhões ao longo do feriado de Natal, o que pode parecer pouco diante das aberturas dos três Star Wars anteriores, ou mesmo em comparação com o restante do DCEU. Entretanto, é sempre bom lembrar que Aquaman estava competindo com as estreias de O Retorno de Mary Poppins e Bumblebee, bem como com o segundo fim de semana de Homem-Aranha no Aranhaverso. Além disso, filmes que estreiam em dezembro costumam ter carreiras bastante longas nas bilheterias americanas, frequentemente adentrando os meses de janeiro e fevereiro, o que os leva a trocar aberturas menores por bilheterias finais maiores.

 

Foi justamente isso o que aconteceu com Aquaman. O longa quase conseguiu quintuplicar o seu fim de semana de abertura nas bilheterias, o que é extremamente raro para um filme de super-heróis. A maioria consegue apenas multiplicar por 2,5 suas estreias, chegando, em alguns casos, a multiplicá-las por 3, como é o caso de Pantera Negra, Os Vingadores e Guardiões da Galáxia. Entretanto, um multiplicador como o de Aquaman não era visto no cinema de super-heróis desde o início dos anos 1990, quando não haviam fins de semana de estreias tão colossais como hoje.

 

 

Isso acontece porque hoje em dia os filmes de super-heróis geralmente estreiam com números gigantescos, de modo que já preenchem a demanda por eles num número menor de dias. Além disso, é comum que eles enfrentem novos blockbusters com o passar das semanas, tomando salas de exibição e a atenção do público e da mídia. Já Aquaman dominou os cinemas americanos em janeiro e fevereiro, enfrentando minúsculas quedas ao longo de seus fins de semana, justamente por não ter outros blockbusters competindo com ele. Em suma, o Rei de Atlântida era o único espetáculo de ação, fantasia e grande orçamento em cartaz por um bom tempo, o que o permitiu continuar atraindo o público de forma consistente.

 

Dessa forma, mesmo tendo um fim de semana de abertura de menos de US$ 100 milhões, Aquaman foi capaz de superar alguns filmes de super-heróis que tiveram estreias muito superiores. Para começar, o Arthur Curry de Jason Momoa superou Liga da Justiça, O Homem de Aço, Esquadrão Suicida e até mesmo Batman vs Superman: A Origem da Justiça para se tornar o segundo maior filme do DCEU, ficando atrás apenas de Mulher-Maravilha. Quem diria que o Rei de Atlântida e a Amazona de Themyscira deixariam Batman e Superman comendo poeira na bilheteria americana!

 

O longa é também a 18ª maior bilheteria americana para um filme de super-heróis da história, e deverá subir ainda mais nessa escala se conseguir ultrapassar também Homem-Aranha: De Volta ao Lar, Guardiões da Galáxia e Homem-Aranha 3. Entre os filmes de origem de super-herói, Aquaman está atrás apenas de Guardiões, Deadpool, o primeiro Homem-Aranha de Sam Raimi e Mulher-Maravilha. Então sim, a depender do sucesso dessa primeira aventura de Aquaman nas telonas, pode esperar muito mais do herói nos cinemas para o futuro.

 

5º Lugar: Deadpool 2

 

 

Data de estreia nos EUA: 18/05/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 125.507.153

Bilheteria final nos EUA: US$ 324.591.735

 

Dois anos depois de ter ganhado seu próprio filme, que estourou nas bilheterias, o Mercenário Tagarela retornou aos cinemas em Deadpool 2. Originalmente agendado para estrear em 1º de junho do ano passado, a sequência logo foi adiantada para duas semanas antes. Isso tornaria o trabalho de Deadpool 2 ainda mais complicado, pois o filme bateria de frente com Vingadores: Guerra Infinita, então em sua quarta semana.

 

Mesmo assim, Wade Wilson não teve medo de enfrentar Thanos (tal como ele já fez nos quadrinhos), e assim conquistou uma abertura de US$ 125,5 milhões nos Estados Unidos. Trata-se da segunda maior abertura para um filme para maiores nos EUA, perdendo apenas para o primeiro Deadpool.

 

Nas semanas seguintes, Deadpool 2 foi capaz de manter-se de forma decente, segurando-se mesmo frente concorrentes como Han Solo: Uma História Star Wars e Oito Mulheres e um Segredo. Foi uma batalha dura, mas o filme comandado por David Leitch conseguiu se segurar ao oferecer algo que seus concorrentes não possuíam: violência, sangue, piadas politicamente incorretas e uma trama que não se preocupava em agradar um público mais jovem.

 

 

Assim, o filme saiu de cartaz nos Estados Unidos tendo faturado US$ 318 milhões, abaixo do primeiro filme, mas o bastante para superar concorrentes como os dois primeiros Homem de Ferro e Thor: Ragnarok. Mas espere! A Fox havia decidido que não havia acabado com o filme ainda, e resolveu lançá-lo novamente nos cinemas, desta vez em uma versão adequada para menores. O objetivo? Saber se o personagem poderia ser exibido na China, que é muito restrita com os filmes que podem ser exibidos por lá.

 

Como resultado, Era Uma Vez um Deadpool, a tal versão para menores, faturou mais US$ 6 milhões em um lançamento limitado em dezembro, elevando o total do longa para US$ 324 milhões. Foi desnecessário, mas, como você vai ver na terceira parte desta matéria, serviu para que ao menos o longa pudesse chegar à China.

 

Seja como for, Deadpool 2 é a segunda maior bilheteria americana para um filme da franquia X-Men. O primeiro? Justamente o filme anterior do Mercenário Tagarela, que havia faturado US$ 363 milhões em 2016. Ou seja, Wade Wilson é o verdadeiro rei dos X-Men, e de bem longe. Ajustado pela inflação, Deadpool 2 fica em quarto lugar na franquia mutante, atrás do primeiro Deadpool, X-Men: O Confronto Final e X-Men 2. É dinheiro demais para a Disney simplesmente ignorar e não produzir um Deadpool 3!

 

6º Lugar: Homem-Formiga e a Vespa

 

 

Data de estreia nos EUA: 06/07/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 75.812.205

Bilheteria final nos EUA: US$ 216.648.740

 

A menor bilheteria da Marvel Studios em 2018 ainda assim foi um sucesso de tamanho decente para o herói que encolhe. O longa pode não ter tido uma bilheteria no nível de um Homem-Aranha: De Volta ao Lar, Thor: Ragnarok ou Pantera Negra, mas considerando que foi bem mais barato do que a maioria dos longas do MCU, então ele ainda foi lucrativo o bastante para a Disney considerar um Homem-Formiga 3.

 

A primeira aparição de Scott Lang nas telonas em Homem-Formiga foi bem recebida por críticos e fãs e logo depois o personagem teve uma memorável participação em Capitão América: Guerra Civil, então fazia sentido que seu segundo filme fosse capitalizar em cima dessa boa vontade. Desse modo, Homem-Formiga e a Vespa abriu com bons US$ 75,8 milhões no início de julho, uma abertura 32% maior que a do primeiro filme do personagem. Foi também a nona maior abertura de 2018 nos cinemas americanos.

 

Na semana seguinte, o filme sofreu uma queda absurda, de 61%, em comparação com a estreia, enquanto batalhava com a abertura do terceiro Hotel Transilvânia. Porém ele foi capaz de se recuperar e de ultrapassar, em sua quarta semana de exibição, os US$ 180 milhões arrecadados pelo primeiro Homem-Formiga.

 

 

Pouco depois, Homem-Formiga e a Vespa deixou para trás a marca de US$ 200 milhões e, finalmente, foi capaz de ultrapassar os totais ajustados pela inflação de Thor, Capitão América: O Primeiro Vingador e finalmente do primeiro Homem-Formiga. Desse modo, a segunda aventura de Scott Lang pode não ter explodido de bilheteria em relação ao seu antecessor, porém foi capaz de expandir o público do primeiro longa, demonstrando que a base de fãs do Homem-Formiga ainda tem espaço para crescer.

 

O pequeno herói tem sua participação garantida no próximo longa dos Vingadores e, tal como Guerra Civil ajudou o personagem a faturar mais em sua bilheteria na sequência, sua participação em Ultimato pode dar ainda mais fãs ao personagem, e levar a números ainda maiores num terceiro filme. É esperar para ver.

 

7º Lugar: Venom

 

 

Data de estreia nos EUA: 05/10/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 80.255.756

Bilheteria final nos EUA: US$ 213.515.506

 

Ninguém acreditou que seria uma boa ideia, mas mesmo assim a Sony foi lá e fez: aproveitando que o estúdio tinha a licença dos personagens, resolveu produzir um filme de um tradicional vilão do Homem-Aranha, mas sem o Cabeça de Teia, a essa altura já integrado ao MCU (por quanto tempo, ninguém sabe).

 

E quem diria que a aposta do estúdio daria certo? Venom, o primeiro no que deve ser um universo compartilhado de vilões e coadjuvantes do Cabeça de Teia, mas sem a presença do herói principal, estreou com absurdos US$ 80,2 milhões. Para se ter uma ideia, trata-se da maior abertura para o mês de outubro nos cinemas americanos, mesmo quando ajustado pela inflação. Além disso, Venom ficou com a medalha de prata entre as maiores bilheterias de estreia para o outono americano, perdendo apenas para It: A Coisa (que estreou com US$ 123,4 milhões em 2017).

 

O filme, porém, teve quedas bruscas nas semanas seguintes e, apesar de ter estreado com um valor superior ao de longas como Homem-Formiga e a Vespa, Missão: Impossível – Efeito Fallout e Aquaman, conseguiu terminar sua carreira nos cinemas com uma bilheteria abaixo deles. Apesar disso, considerando que Venom foi bastante barato para ser produzido em comparação com o típico filme de super-heróis (tendo tido um orçamento de apenas US$ 100 milhões, um terço do de Guerra Infinita), o longa ainda conseguiu ser bastante lucrativo para seu estúdio, a ponto da continuação estar agendada para o ano que vem.

 

 

Claro, o sucesso de Venom não garante que longas baseados em Morbius, Silver Sable, Gata Negra, Tia May e sei lá qual outro coadjuvante do Homem-Aranha o estúdio pense em fazer filme sejam bem sucedidos nas bilheterias. É sempre bom lembrar que Venom, o personagem, já era extremamente popular e tinha sua própria base de fãs antes do longa estrear. Entretanto, sua sequência, que colocará o anti-herói para enfrentar o Carnificina, tem potencial para ser um sucesso ainda maior que o primeiro, pois finalmente trará os dois simbiontes mais queridos pelos fãs se confrontando.

 

8º Lugar: Homem-Aranha no Aranhaverso

 

 

Data de estreia nos EUA: 14/12/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 35.363.376

Bilheteria final nos EUA: US$ 185.003.294 (e contando)

 

O aclamado longa do Homem-Aranha na verdade foi uma aposta ousada da Sony em termos de bilheteria. Para começar, o filme iria abrir em dezembro, uma época em que pouquíssimas animações americanas costumam estrear – a maioria, como os desenhos da Disney, opta por abrir em novembro. Além disso, animações de super-heróis dos quadrinhos não são um gênero tão seguro assim em matéria de bilheteria, embora, para ser justo, houveram pouquíssimos filmes do tipo desde o início da dominação dos heróis sobre o cinema.

 

Sua abertura, de apenas US$ 35,3 milhões, pode não ter sido exatamente explosiva, embora tenha sido a maior estreia para uma animação em dezembro. Além disso, o filme enfrentaria competição verdadeiramente pesada nas semanas seguintes, na forma de Aquaman, Bumblebee e O Retorno de Mary Poppins.

 

Mesmo assim, turbinado pelas boas críticas e excelente boca a boca, o filme conseguiu se sustentar de maneira incrivelmente bem nas bilheterias americanas com o passar das semanas. O mais incrível é que o filme recusou-se a sair das top 5 bilheterias do fim de semana por nada menos que oito semanas consecutivas, o que demonstra uma resiliência espetacular nas bilheterias.

 

 

Dessa forma, Aranhaverso conseguiu multiplicar por 5 a sua abertura, o que é quase inédito no cinema de super-heróis, pelos motivos que eu expliquei quando falei de Aquaman. O longa conseguiu se segurar de maneira espetacular nas bilheterias americanas, e aos poucos conseguiu se tornar a maior bilheteria americana para uma animação lançada pela Sony, mesmo quando ajustada pela inflação.

 

O longa é também a quarta maior animação com temática de super-heróis da história na bilheteria americana, atrás apenas dos dois Os Incríveis e de Operação Big Hero. Por outro lado, ele é a menor bilheteria para um filme do Homem-Aranha, ficando bem atrás seja de Tobey Maguire, Andrew Garfield ou Tom Holland. Entretanto, Aranhaverso foi muito mais barato para ser produzido do que um filme comum do Cabeça de Teia, e além disso foi aclamado pela crítica, tornando um segundo longa sobre o Miles Morales animado inevitável.

 

9º Lugar: Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas

 

 

Data de estreia nos EUA: 27/07/2018

Bilheteria do fim de semana de estreia nos EUA: US$ 10.411.189

Bilheteria final nos EUA: US$ 29.790.236

 

O tal “outro filme da DC de 2018”, afora Aquaman, foi esta comédia animada, baseada na série de televisão do Cartoon Network de mesmo nome. Adorada pelas crianças e por críticos mais velhos (que adoram uma desconstrução), este desenho animado é tão querido pelo canal que, no Cartoon Network dos EUA, reprises da série chegam a responder por uma parte considerável da programação semanal da rede. Isto, e o fato de que o longa utiliza a equipe de mesmo nome da DC para debochar da própria empresa de forma histérica e subversiva, tornou o desenho particularmente odiado pelos fãs. Porém isso não impediu a Warner de levar esta bizarra versão da equipe liderada por Robin para os cinemas.

 

Entretanto, animações cinematográficas baseadas em desenhos de sucesso da TV geralmente costumam fazer bilheterias humildes, pouco condizentes com sua audiência. Há exceções, como os longas do Bob Esponja, porém o filme das Meninas Super-Poderosas e Batman: A Máscara do Fantasma (baseado na série animada do Morcego) afundaram nas bilheterias. Desse modo, ninguém esperava que Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas fosse ser um sucesso na mesma proporções de um longa live action da DC. Desse modo, a Warner gastou apenas US$ 10 milhões para produzir o filme, conseguindo lucrar mesmo com sua minúscula bilheteria.

 

Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas abriu com apenas US$ 10,4 milhões. O longa ficou atrás da terceira semana de seu concorrente pelo público infantil, Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas. Sua carreira nos cinemas foi curta, e o longa saiu de cartaz com US$ 29,7 milhões. Tal valor é pequeno, porém é quase o triplo do que o filme custou para ser feito, então no fim das contas ele acabou rendendo algum lucro para o estúdio. Será que isso significa que teremos mais aventuras dos Jovens Titãs em Ação nas telas de cinema? Talvez sim, talvez não, mas enquanto a série continuar dominando a programação de seu canal, ela viverá nas telinhas.

 

Leia TUDO SOBRE Bilheteria EUA!

Agora que o artigo acabou, veja um vídeo do nosso canal!