Super-heróis em 2018 – Ranking da maior para a menor bilheteria! Parte 2: Brasil!

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

 

Na segunda parte de nossa série de matérias especiais, vamos analisar a bilheteria brasileira dos filmes de super-herói de 2018. Desde as históricas performances de Vingadores: Guerra Infinita e Os Incríveis 2, passando pelos excelentes números de Aquaman e Pantera Negra, o ano passado foi extremamente proveitoso para os filmes de heróis no Brasil. Em certo sentido, praticamente todos fizeram uma ótima bilheteria por aqui.

 

Ah, sim: Homem-Aranha no Aranhaverso não será incluído nesta parte da matéria porque só foi chegar ao nosso país em janeiro desse ano. Mas não se preocupe, você pode buscar a minha cobertura da bilheteria da animação da Sony clicando aqui.

 

1º Lugar: Vingadores: Guerra Infinita

 

 

Data de estreia no Brasil: 26/04/2018

Faturamento no Brasil: R$ 238.020.232

Ingressos vendidos no Brasil: 14.501.280

 

O desempenho de Vingadores: Guerra Infinita no Brasil entrou para a história das bilheterias de nosso país. Sua performance aqui quebrou tantos recordes e atingiu números tão gigantescos que chega a ser uma covardia comparar com outros filmes, seja de heróis ou não.

 

O longa começou sua já lendária carreira em nossas bilheterias já no fim de semana de estreia, quando simplesmente explodiu o recorde de maior abertura: foram mais de R$ 65 milhões de faturamento e 3,7 milhões de ingressos vendidos, cerca de R$ 21 milhões a mais do que o que o recordista anterior, Capitão América: Guerra Civil, havia conquistado em sua abertura. Em apenas um fim de semana, Guerra Infinita já havia levado mais pessoas aos cinemas do que diversos filmes da Marvel anteriores. Além disso, a abertura brasileira do longa ocorreu em meio a um feriado prolongado, e até o dia 01/05/18 Guerra Infinita já havia faturado mais de R$ 100 milhões e vendido quase 6 milhões de ingressos.

 

Logo em seguida, Guerra Infinita não diminuiu o ritmo, e precisou de apenas 11 dias para se tornar o maior faturamento da história do Brasil, deixando para trás Guerra Civil e Vingadores: Era de Ultron. Em outras palavras: em apenas duas semanas em cartaz, o épico super-heroico comandado pelos Irmãos Russo se tornou o único filme da história a faturar mais de R$ 150 milhões no Brasil.

 

 

O filme não perdeu o gás nas semanas seguintes, conquistando os títulos de maior segundo e terceiro finais de semana da história em público e renda. Isso lhe permitiu bater mais marcas, como o primeiro filme a faturar mais de R$ 200 milhões, e o único filme estrangeiro desde Titanic, há exatos 20 anos atrás, a levar mais de 11 milhões de pessoas aos cinemas tupiniquins. Em sua terceira semana, Guerra Infinita superou o primeiro Vingadores e se tornou o longa de super-heróis mais assistido nos cinemas do Brasil.

 

Claro, nas semanas seguintes Guerra Infinita precisou batalhar com Deadpool 2, Han Solo: Uma História Star Wars e ainda enfrentar a greve dos caminhoneiros no final de maio. Mesmo assim, o longa desempenhou de forma tão agressiva que continuou superando marcas. Em poucos dias, o filme havia deixado para trás longas como Tubarão e Nada a Perder e assim se tornado o segundo filme da que mais vendeu ingressos da história do Brasil, atrás apenas de Titanic. Sim, é isso mesmo: desde que as bilheterias no Brasil começaram a ser contabilizadas de forma profissional, apenas um único filme, Titanic, levou mais pessoas aos cinemas brasileiros do que Guerra Infinita.

 

O longa encerrou sua carreira no país tendo vendido absurdos 14,5 milhões de ingressos, com um faturamento de inacreditáveis R$ 238 milhões. De bem longe, foi a maior bilheteria de 2018 no Brasil, deixando todos os outros filmes que estrearam em 2018 no país comendo poeira.  Ansiosamente aguardado ou não, Vingadores: Ultimato terá que suar a camisa para superar os números brasileiros de seu antecessor.

 

2º Lugar: Os Incríveis 2

 

 

Data de estreia no Brasil: 28/06/2018

Faturamento no Brasil: R$ 145.011.793

Ingressos vendidos no Brasil: 9.809.291

 

A carreira de Os Incríveis 2 no Brasil começou com ótimos números, mas nada indicativo do tamanho do sucesso que o longa obteria por aqui. O filme da Pixar foi “apenas” o quarto maior fim de semana de abertura de uma animação no Brasil, atrás de Meu Malvado Favorito 3, Minions e Procurando Dory, bem como o 17º maior para um longa de super-heróis, tendo levado aos cinemas menos gente do que as aberturas de O Espetacular Homem-Aranha 2, Logan e Deadpool.

 

Mas aí entram dois ingredientes secretos, que permitiram ao longa se manter de forma épica nas nossas bilheterias. O primeiro foi sua data de estreia: por ter chegado no final de junho, Os Incríveis 2 foi capaz de aproveitar o período das férias de julho. O segundo foi que o longa não se vendeu apenas como uma típica animação para o público infantil. Na verdade, Os Incríveis 2 atingiu números tão monstruosos em nosso país por atrair não apenas famílias com crianças, mas também adolescentes, jovens e adultos. Seja por terem crescido com o primeiro Os Incríveis, seja por simplesmente quererem ver um filme de super-heróis nas telonas, a segunda aventura da Família Incrível apelou para um público muito maior do que a típica animação hollywoodiana.

 

Por isso, o filme continuou atraindo multidões mesmo em suas semanas seguintes, conquistando o título de melhor quarto final de semana para uma animação. Para se ter uma ideia da longevidade do filme, seu 4º fim de semana vendeu mais ingressos do que as respectivas quartas semanas de blockbusters do calibre de Guerra Infinita, Era de Ultron e Pantera Negra.

 

 

No fim das contas, tanto em faturamento quanto em público, Os Incríveis 2 conseguiu conquistar o título de maior animação da história do Brasil em renda e público, superando Meu Malvado Favorito 3 no primeiro quesito e A Era do Gelo 3 no segundo. Mesmo comparando com outros filmes de heróis o desempenho de Os Incríveis 2 continua inacreditável: em faturamento, a animação perde apenas para Era de Ultron e Guerra Infinita, e em público fica atrás apenas dos três filmes dos Vingadores. Sim, é isso mesmo: Os Incríveis 2 levou mais gente aos cinemas do que todos os filmes da DC, Fox, Sony e quase todos do MCU, incluindo Guerra Civil, Homem de Ferro 3 e Pantera Negra.

 

Finalmente, o filme também é o terceiro maior faturamento da história do Brasil, novamente atrás apenas de Era de Ultron e Guerra Infinita, bem como o 14º filme que mais vendeu ingressos da história – novamente, os 13 que estão acima são todos em live action.

 

E, a não ser que surja outra animação que, tal como Os Incríveis 2, apele também para um público mais amplo, esta segunda aventura da família Incrível permanecerá como o maior desenho animado da história por um bom tempo.

 

3º Lugar: Aquaman

 

 

Data de estreia no Brasil: 13/12/2018

Faturamento no Brasil: R$ 135.524.019 (e contando)

Ingressos vendidos no Brasil: 8.267.606 (e contando)

 

Tal como Os Incríveis 2, Aquaman também se beneficiou do período de férias, no caso as de dezembro e janeiro, para turbinar sua bilheteria. O Rei de Atlantis tornou-se a principal escolha para cinéfilos de todas as idades durante a última temporada de Natal, demonstrando o poder que o cinema de super-heróis tem de apelar para uma grande quantidade de públicos.

 

Sua abertura brasileira foi grande, mas nada espetacular: com 1,6 milhão de ingressos vendidos, foi “apenas” a 15ª maior abertura para um filme de heróis, bem como a segunda maior estreia para o mês de dezembro, atrás de Star Wars: O Despertar da Força. Mas nas semanas seguintes a aventura estrelada por Jason Momoa levou mais gente aos cinemas do que qualquer Star Wars de dezembro, atraindo ótimos públicos em sua segunda (1,04 milhão de ingressos), terceira (896 mil ingressos) e quarta (675 mil ingressos) semanas. A quarta semana do longa, aliás, foi maior que a de vários outros blockbusters de heróis, incluindo Guerra Infinita, Era de Ultron, Guerra Civil e Liga da Justiça. Isso só demonstra a longevidade que o filme conquistou graças às férias de dezembro e janeiro, com Aquaman dominando sobre a concorrência.

 

Dessa forma, Aquaman conseguiu superar todos os capítulos anteriores do DCEU, e se tornar o maior faturamento para um filme baseado na DC e também para um longa da Warner no Brasil. Em ingressos vendidos, o Rei de Atlantis fica atrás apenas de Batman vs Superman, Liga da Justiça e Inferno na Torre como os filmes do estúdio do Pernalonga que mais levaram pessoas aos cinemas brasileiros.

 

 

Aquaman ainda estava em cartaz até o fechamento desta matéria, mas até onde nós compilamos ele era o 9º maior filme de heróis em número de ingressos vendidos. Entretanto, assim que ele deixar para trás os 8,48 milhões do primeiro Homem-Aranha de Sam Raimi, ele se tornará não apenas o oitavo maior de heróis, como também o filme de um herói solo mais assistido nos cinemas brasileiros – todos os outros sete acima são de equipe.

 

Finalmente, Aquaman foi o terceiro maior faturamento de 2018, atrás de Os Incríveis 2 e Guerra Infinita, e também o quarto maior público do ano, atrás dos longas citados e de Nada a Perder: Contra Tudo. Por Todos.

 

Criticados ou elogiados, o público brasileiro tem reagido muito bem aos longas do DCEU. Vamos ver se isso irá continuar com Shazam!, Coringa, Aves de Rapina e Mulher-Maravilha 1984.

 

4º Lugar: Pantera Negra

 

 

Data de estreia no Brasil: 15/02/2018

Faturamento no Brasil: R$ 120.998.283

Ingressos vendidos no Brasil: 7.438.252

 

Pantera Negra pode até não ter sido o mesmo monstro quebrador de recordes que foi nos EUA. Entretanto, seu desempenho no Brasil foi superior à média para um filme de herói solo da Marvel, demonstrando que os brasileiros também apoiaram os heróis de Wakanda em grande medida.

 

O longa comandado por Ryan Coogler abriu tendo vendido 1,7 milhão de ingressos, o 10º maior público de abertura para um filme de heróis, ficando pouca coisa acima da estreia de Deadpool e pouca coisa abaixo da de Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Mas nas semanas seguintes Pantera levou mais pessoas aos cinemas do que qualquer um desses dois, vendendo 1,08 milhão de ingressos na segunda semana, 638 mil na terceira e 576 mil na quarta.

 

No fim das contas, com 7,4 milhões de ingressos, Pantera acabou levando mais gente aos cinemas brasileiros do que diversos outros filmes de heróis solo recentes, incluindo Deadpool (6 milhões), Thor: Ragnarok (6,3 milhões), Logan (6,4 milhões), De Volta ao Lar (6,7 milhões) e Mulher-Maravilha (7 milhões). Na realidade, o longa estrelado por Chadwick Boseman é o 13º de super-heróis e 5º para um herói solo em número de ingressos vendidos, atrás apenas de Homem-Aranha, Aquaman, Homem-Aranha 2 e Homem de Ferro 3. Dentro do MCU, Pantera Negra ainda é o sexto mais assistido, logo atrás dos três Vingadores, Guerra Civil e Homem de Ferro 3.

 

 

Quanto ao faturamento, Pantera é a 15ª maior bilheteria da história do Brasil em reais, o 9º maior de super-heróis e o quinto do MCU, atrás dos três longas dos Vingadores e de Guerra Civil. Entre os filmes de herói solo, T’Challa perde apenas para Aquaman no Brasil.

 

Um sucesso acima da média para o Rei de Wakanda!

 

5º Lugar: Venom

 

 

Data de estreia no Brasil: 04/10/2018

Faturamento no Brasil: R$ 72.243.415

Ingressos vendidos no Brasil: 4.605.459

 

Venom conseguiu superar toda a desconfiança que o cercava e fazer sucesso ao redor do planeta, inclusive no Brasil. Em nosso país, onde filmes de heróis costumam levar multidões aos cinemas, o simbionte conseguiu sair de cartaz com um público superior ao dos dois Guardiões da Galáxia (2,8 milhões de ingressos para o primeiro e 4,2 milhões para o segundo), os dois Homem-Formiga (2,9 milhões e 3,2 milhões) e quase todos os longas dos X-Men, incluindo Apocalipse (4,3 milhões de ingressos).

 

O filme estrelado por Tom Hardy abriu no país em plena semana eleitoral, vendendo apenas 1,05 milhão de ingressos. Trata-se de apenas a 29ª maior abertura para um filme de heróis no Brasil, inferior a longas como Capitão América 2: O Soldado Invernal, Thor: O Mundo Sombrio e Doutor Estranho. Mas no fim de semana seguinte foi feriado, e Venom aproveitou para levar outras 1,02 milhão de pessoas aos cinemas, uma queda de apenas 3% em comparação com a abertura.

 

Durante todo o período em que esteve em cartaz, Venom foi basicamente o único blockbuster de ação e aventura. Seus competidores eram principalmente dramas adultos (Nasce Uma Estrela, Bohemian Rhapsody, O Primeiro Homem), longas infantis (O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos, Tudo por um Pop Star) e terror (Halloween). Ele só foi ganhar concorrência entre o gênero de aventura quase um mês e meio depois de sua estreia, com a abertura de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald. Dessa forma, ele foi capaz de reinar tranquilamente como a única opção para quem buscava ação nas telonas, e assim conquistar seu público. E também foi muito útil que, enquanto ele esteve em cartaz, pegou nada menos que três feriados prolongados.

 

 

Tendo faturado R$ 72,2 milhões, Venom é o quarto maior faturamento da história da Sony no Brasil, atrás apenas de Homem-Aranha: De Volta ao Lar, Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas e Jumanji: Bem-Vindo à Selva. Trata-se também do 18º maior faturamento para um filme de heróis e o segundo para um que seja independente, ou seja, não pertença nem ao MCU, nem ao DCEU nem à franquia mutante da Fox, atrás apenas de Os Incríveis 2.

 

Quanto ao público, Venom conseguiu levar mais gente aos cinemas do que dois dos filmes do Homem-Aranha mais recentes, A Ameaça de Electro e Aranhaverso. O longa foi o 10º do ano passado que mais vendeu ingressos nos cinemas brasileiros.

 

Com o sucesso deste longa e de Esquadrão Suicida no Brasil, vemos que os brasileiros não demonstram preconceito algum com filmes baseados em vilões. Isso é uma boa notícia para lançamentos futuros como Coringa, Morbius e, claro, Venom 2, que trará uma batalha contra outro simbionte muito querido dos fãs, o Carnificina. Desse modo, se o primeiro Venom já foi um sucesso deste tamanho, um segundo tem a possibilidade de obter um desempenho ainda melhor.

 

6º Lugar: Deadpool 2

 

 

Data de estreia no Brasil: 17/05/2018

Faturamento no Brasil: R$ 66.934.777

Ingressos vendidos no Brasil: 4.601.084

 

Mesmo com o grande sucesso do primeiro Deadpool em nosso país (até hoje, o 5º maior faturamento da Fox no país, atrás de Avatar, A Era do Gelo 4, Logan e Titanic), sua continuação não conseguiu atingir os mesmos ápices por aqui. Talvez tenha sido a concorrência com Guerra Infinita, ou os diversos contratempos que o filme teve de enfrentar por aqui (como a greve dos caminhoneiros do final de maio e o início da Copa do Mundo). Ou talvez Deadpool 2 seja uma daquelas sequências que não conseguem capturar o zeitgeist da mesma forma que seus predecessores.

 

Ainda assim, sua abertura por aqui foi decente. O longa vendeu 1,35 milhão de ingressos em seu primeiro fim de semana, a terceira melhor estreia para um filme de heróis da Fox no Brasil, atrás apenas do primeiro Deadpool e de Logan. Porém, sua segunda semana ocorreu justamente quando o Brasil estava parado por conta da greve dos caminhoneiros – sem combustível nos carros, como as pessoas poderiam ir aos cinemas? Por conta disso, a queda de Deadpool 2 foi simplesmente brutal: 63,5% a menos no número de ingressos vendidos em comparação com a estreia, algo inédito aqui para um filme de heróis, seja ele da Fox, do MCU ou da DC. Felizmente, foi feriado na semana seguinte, e com a situação dos caminhoneiros já normalizada, o Mercenário Tagarela foi capaz de obter um público 25% superior.

 

Ainda assim, não foi suficiente para Deadpool 2 chegar perto dos números de seu predecessor. Wade Wilson viu uma queda de 24,2% no público e de 18% na renda entre os seus dois filmes. Em ingressos vendidos, trata-se apenas do quarto maior filme dos X-Men no Brasil, atrás de Logan, Deadpool e Dias de um Futuro Esquecido; já em faturamento ele é o terceiro, logo atrás de seu antecessor e do último longa do Wolverine.

 

 

Deadpool 2 teve uma trajetória complicada por diversos fatores internos e externos ao cinema em nosso país. Além disso, o filme simplesmente não conseguiu se tornar um evento cultural na mesma medida que o primeiro. Claro, ninguém esperava que Wade Wilson fosse repetir o mesmo sucesso de sua primeira aventura, mas em muitos países (como nos EUA) a queda nas bilheterias foi mais sutil.

 

Vamos ver como o personagem se sairá de agora para a frente, ainda mais que ele estará sob o comando da Disney.

 

7º Lugar: Homem-Formiga e a Vespa

 

 

Data de estreia no Brasil: 05/07/2018

Faturamento no Brasil: R$ 50.051.271

Ingressos vendidos no Brasil: 3.257.029

 

Todos os filmes do MCU, grandes ou pequenos, haviam pelo menos estreado em primeiro no Brasil… até agora. A abertura de Homem-Formiga e a Vespa conseguiu ficar atrás, tanto em público como em renda, da excelente segunda semana de Os Incríveis 2 no Brasil. Além disso, estreando com um público de apenas 766 mil ingressos, Homem-Formiga e a Vespa foi o primeiro filme do MCU a abrir levando menos de 1 milhão de pessoas aos cinemas desde o primeiro Homem-Formiga, lá em 2015. Trata-se também do quinto menor público de abertura da Marvel Studios no Brasil, superando apenas o seu antecessor e três longas da longínqua Fase 1, Thor, Homem de Ferro e O Incrível Hulk.

 

E se o hype já estava baixo na primeira semana, na segunda as coisas só pioraram, com o longa enfrentando uma queda brusca de 42% no número de ingressos vendidos, uma das piores quedas da primeira para a segunda semana de todo o MCU. Felizmente, as coisas melhoraram na semana seguinte, quando Homem-Formiga e a Vespa se recuperou e levou outras 316 mil pessoas aos cinemas – uma queda de apenas 28,7% em comparação com a semana anterior, o que representa um número excelente para um filme do MCU na terceira semana. Desse modo, mesmo enfrentando dura competição com Os Incríveis 2 que, como você viu nessa matéria, atraiu não apenas crianças mas também um público mais velho aos cinemas, Homem-Formiga e a Vespa conseguiu fazer uso das férias de julho para se segurar de maneira decente nos cinemas.

 

 

O longa acabou encerrando sua carreira como a menor bilheteria brasileira da Fase 3 da Marvel, em público e renda. Por outro lado, seus números por aqui foram superiores aos de todos os filmes da Fase 1 do estúdio (exceto Vingadores, claro) e os do primeiro Guardiões da Galáxia, que havia levado mais pessoas aos cinema do que Homem-Formiga e a Vespa em sua abertura.

 

Além disso, a primeira aventura de Scott Lang e sua participação marcante no megahit Capitão América: Guerra Civil certamente foram úteis para elevar o perfil do herói entre os cinéfilos brasileiros. Afinal, sua segunda aventura obteve um crescimento de 10,4% em relação ao público e 20% na renda em comparação com o primeiro Homem-Formiga.

 

Veremos se a participação do pequeno herói em Vingadores: Ultimato irá aumentar ainda mais seu perfil entre o público brasileiro, trazendo uma bilheteria ainda melhor para um possível Homem-Formiga 3.

 

8º Lugar: Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas

 

 

Data de estreia no Brasil: 30/08/2018

Faturamento no Brasil: R$ 13.786.217

Ingressos vendidos no Brasil: 1.012.555

 

Tal como nos Estados Unidos, Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas foi um lançamento de proporções menores do que o que o normal para a maioria dos filmes de heróis aqui no Brasil. Por isso, sua estreia por aqui se deu com apenas 274 mil ingressos vendidos – o que deve ser menos do que Guerra Infinita fez em seu dia de estreia.

 

Por outro lado, a Warner escolheu a data de estreia da animação da DC por aqui de forma estratégica. Além de não haver nenhum outro concorrente pelo público infanto-juvenil, a sua segunda semana ainda coincidiu com o feriado de 7 de setembro. Por isso, ele teve uma queda de apenas 1,6% no público, a menor queda da primeira para a segunda semana dentre todos os filmes de heróis presentes nesta lista.

 

Sem muitos concorrentes, Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas conseguiu chegar à marca de 1 milhão de ingressos vendidos – um feito que o filme das Meninas Super-Poderosas, por exemplo, não conseguiu. Ainda assim, esta é a menor bilheteria para um filme lançado nos cinemas da DC desde Watchmen: O Filme, lançado lá em 2009.

 

De toda forma, o longa ainda foi um sucesso modesto para o estúdio, considerando que ele se baseia em um desenho animado da TV paga. Amanhã, na última parte de nossa matéria especial, vamos analisar a bilheteria dos filmes de heróis de 2018 ao redor do mundo. Te vejo lá!

 

Leia TUDO SOBRE Bilheteria BR!

Agora que o artigo acabou, veja um vídeo do nosso canal!

Comentários

legadodamarveldisqus