Divulgadas as primeiras previsões de bilheteria para Vingadores: Guerra Infinita!

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

Tipicamente, dois meses antes do lançamento de qualquer filme, o portal Box Office Pro, um dos mais respeitados na análise do mercado cinematográfico, publica suas primeiras previsões para a sua bilheteria. Dessa forma, chegou a hora de conhecermos os possíveis resultados para um pequeno filme independente que chegará aos cinemas daqui a (cerca de) dois meses: Vingadores: Guerra Infinita!

 

    LEIA TAMBÉM!

 

Segundo as primeiras estimativas do site, o longa comandado por Joe e Anthony Russo terá uma abertura entre US$ 200 milhões a US$ 235 milhões nos Estados Unidos. No pior dos casos, a estreia do filme seria a sexta maior da história, porém abaixo das de Pantera Negra (US$ 202 milhões), o primeiro Vingadores (US$ 207 milhões em 2012), Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (US$ 208 milhões em 2015), Star Wars: Os Últimos Jedi (US$ 220 milhões no ano passado) e Star Wars: O Despertar da Força (US$ 247 milhões em 2015). Porém, na melhor das hipóteses calculada pelo site, Guerra Infinita poderá até mesmo se tornar a segunda maior abertura da história, atrás apenas do sétimo Star Wars – e ainda faturando um valor curiosamente próximo à abertura ajustada pela inflação de US$ 234 milhões do primeiro Vingadores.

 

Seja como for, tais estimativas ainda poderão aumentar ou diminuir com o passar das semanas, especialmente após o estúdio ter pego o público americano de surpresa ao anunciar que Guerra Infinita chegaria aos cinemas dos EUA e de uma série de países uma semana antes, em 27 de abril. Tradicionalmente, a Marvel costuma lançar seus blockbusters de maio uma semana antes em alguns mercados internacionais importantes, como o Brasil. Tal tendência já vem desde Homem de Ferro 2, lançado em 2010, numa estratégia pensada para dar ao longa mais uma semana de vantagem antes da Copa do Mundo da África do Sul em países onde a competição monopolizaria todas as atenções (viram, americanos, quem mandou não gostarem de futebol? 😀 ). De lá para cá, fomos privilegiados de receber todos os filmes de maio subsequentes do estúdio com uma semana de antecedência em relação aos americanos. Neste ano, porém, uma série de fatores certamente devem ter levado a Disney a reavaliar esta tradição.

 

 

Em primeiro lugar, há a questão da concorrência. O estúdio calculou que seria estratégico dar a Vingadores mais uma semana para comandar as atenções antes da chegada de Deadpool 2, em 18 de maio – e sabemos que uma confrontação direta entre os dois aguardados blockbusters de heróis não seria benéfico para nenhum deles em termos de bilheteria. Além disso, a Casa do Mickey também lançará em 25 de maio Han Solo: Uma História Star Wars, um longa que, por sua trajetória complicada, precisará de um pouco mais de atenção e cuidado da equipe de marketing do estúdio se quiser ser competitivo na temporada.

 

Também nunca é importante subestimar a questão dos spoilers. Após distribuir três filmes de Star Wars com campanhas de marketing eficientes, mas que não abriram mão de esconder ao máximo as surpresas de cada filme, a Disney deve ter sentido que seria inteligente utilizar esse know-how no aguardadíssimo “capítulo final” (ou parte 1 dele) da saga dos Vingadores.

 

 

Dito isso, e sem esquecer que alguns países como a Rússia ainda receberão Guerra Infinita um mês depois, o terceiro Vingadores agora possui uma chance verdadeira de conquistar uma abertura global verdadeiramente massiva. Atualmente, as três maiores aberturas internacionais (leia-se, desconsiderando os EUA) da história são Velozes & Furiosos 8 (US$ 443 milhões no ano passado), Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (US$ 317 milhões em 2015) e Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 (US$ 314 milhões em 2011). Já as maiores estreias globais (somando também a abertura americana) são novamente o oitavo Velozes & Furiosos (US$ 541 milhões), Star Wars: O Despertar da Força (US$ 529 milhões) e Jurassic World (US$ 525 milhões).

 

Os dois filmes anteriores dos Vingadores, bem como Guerra Civil, evidentemente desempenharam espetacularmente tanto nos EUA quanto fora, mas o fato de a estreia americana se dar uma semana depois impediu tais longas de figurarem entre as maiores aberturas globais da história. Assim, mesmo que Guerra Infinita não supere O Despertar da Força pelo título de maior estreia americana, o poder combinado de sua abertura nos EUA com a mundial dará ao filme uma ótima chance de chegar pelo menos aos US$ 500 milhões mundialmente no primeiro fim de semana.

 

 

Finalmente, a análise do Box Office Pro também estima qual pode ser a bilheteria final do longa nos Estados Unidos: de US$ 490 milhões a US$ 590 milhões (mundialmente, claro, sabemos que o US$ 1 bilhão já é praticamente garantido). São previsões conservadoras, porém os analistas do site destacam que alguns fatores podem prejudicar o desempenho do longa após a estreia, como por exemplo, um tom sombrio demais, ou a morte de personagens queridos, que, claro, afastariam o público familiar. Vimos isso acontecer recentemente com Os Últimos Jedi, um filme bastante longo, repleto de reviravoltas, personagens moralmente complicados e cenas pesadas, como a heroína do filme sendo torturada pelo vilão Snoke. Muitos calcularam que isso deve ter afastado pais com filhos mais jovens do filme, que optaram por levá-los ao bem mais curto e amigável para as crianças Jumanji: Bem-Vindo à Selva.

 

Seja como for, e independentemente de como o filme se sair, creio que é razoável calcular que ao menos um fim de semana de estreia massivo está garantido para Guerra Infinita, nos EUA e em todo o planeta. E você, como está o nível de ansiedade para o terceiro Vingadores? Quem você pretende levar para assistir o embate dos Heróis Mais Poderosos da Terra contra Thanos? Comente com a gente aí nos comentários!

 

Veja a nossa galeria do filme:

[URIS id=5942]

Leia TUDO SOBRE Vingadores: Guerra Infinita!

Agora que a notícia acabou, veja um vídeo do nosso canal!

Comenta aí, Marvete!

legadodamarveldisqus