Homem-Aranha no Aranhaverso estreia em segundo lugar no Brasil!

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

 

Finalmente, após uma longa espera, Homem-Aranha no Aranhaverso chegou aos cinemas nacionais. O longa da Marvel/Sony travou uma disputa épica com a segunda semana de WiFi Ralph pela liderança das bilheterias brasileiras. Apesar de Aranhaverso ter superado seu rival no quesito faturamento (R$ 10,2 milhões para Miles Morales contra R$ 9,7 milhões para Ralph), a animação da Disney ainda conseguiu levar mais pessoas aos cinemas a despeito de estar em sua segunda semana: foram 586 mil ingressos para o novo Aranha contra 596 mil para a continuação de Detona Ralph.

 

Ainda assim, mesmo tendo vendido meio milhão de ingressos, não foi exatamente uma estreia espetacular para Aranhaverso no Brasil. Comparado com outros filmes de super-heróis, a animação da Marvel teve uma estreia relativamente fraca, embora os padrões do MCU e do DCEU são particularmente altos nas bilheterias brasileiras – quase todos eles levam acima de 1 milhão de pessoas aos cinemas.

 

Mas mesmo se  você argumentar que seria injusto esperar que Aranhaverso atinja os números épicos do típico filme de super-herói na bilheteria brasileira, para os padrões de uma animação sua estreia foi relativamente mediana. O longa teve uma estreia inferior a de filmes como Os Incríveis 2, WiFi Ralph, Meu Malvado Favorito 3 e A Era do Gelo: O Big Bang (que levaram mais de um milhão de pessoas em suas aberturas), bem como a de outros desenhos recentes produzidos por grandes estúdios, como Moana: Um Mar de Aventuras, Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas e Pets: A Vida Secreta dos Bichos. Por outro lado, ao menos Miles Morales superou a abertura de algumas animações que não fizeram tanto sucesso no país, como Viva: A Vida é uma Festa e Pé Pequeno.

 

 

Em suma, a abertura de Aranhaverso por aqui não foi alta nem mesmo para os padrões de uma animação de grande orçamento no Brasil, sendo superada por um sem número de longas da Disney, Pixar, DreamWorks, Blue Sky e Illumination.

 

E por que isso aconteceu? Por que Aranhaverso, mesmo contando com a popularidade da marca Marvel e do Homem-Aranha no Brasil, não conseguiu alcançar os mesmos números de abertura de uma típica animação de grande orçamento da Disney? A resposta pode estar na decisão da Sony em adiar sua estreia em quase um mês no país.

 

No papel, a decisão da distribuidora fazia sentido: aproveitar as férias de janeiro, quando a criançada está de férias, para lançar sua mais nova animação. Acontece que vários outros estúdios também tiveram a mesma ideia, e lançaram seus blockbusters para o público infantil em datas próximas. A Disney, que desde 2011 com Enrolados lança todos os anos no início de janeiro suas novas animações no Brasil para aproveitar as férias, colocou nos cinemas WiFi Ralph, com grande sucesso; já a Fox quis conquistar os fãs de animes com Dragonball Super: Broly. E na semana que vem, a Universal lançará no Brasil adiantadamente Como Treinar o seu Dragão 3.

 

 

Em outras palavras, há opções demais em termos de animações voltadas para o público infanto-juvenil, de modo que Aranhaverso não é o “rei do pedaço” nesse quesito. Precisando enfrentar em sua estreia Ralph e Dragonball, bem como o terceiro Dragão já a partir de semana que vem, Aranhaverso acabou em um mercado extremamente saturado.

 

O mais estranho é que isso poderia ter sido evitado e o longa poderia ter alcançado um desempenho superior no Brasil caso ele tivesse sido lançado em dezembro, junto com os EUA. No mês passado, a única animação hollywoodiana em cartaz era O Grinch (cujo desempenho no Brasil foi sofrível), e o longa só teria que duelar com aventuras em live action pela atenção do público mais jovem, como Aquaman e Bumblebee. Faltou visão e ousadia dos executivos da Sony ao se programarem no Brasil.

 

Mas não adianta chorar pelo leite derramado, e agora o longa terá que brigar com ao menos três outras animações para se destacar no mercado e conquistar um público saudável no Brasil. E talvez Aranhaverso consiga fazer isso se conseguir atrair não apenas crianças de férias para as salas de cinema, mas também adolescentes, jovens e adultos – em suma, o típico público de quatro quadrantes que compõe a audiência de um filme de super-herói comum.

 

 

Com as crianças ocupadas com WiFi Ralph e Como Treinar o seu Dragão 3, cabe a um público mais velho, atraído por toda a excelente recepção crítica do longa, turbinar sua bilheteria, para que ela não dependa apenas dos mais jovens. Se a Sony conseguir atrair essas pessoas mais velhas, que estão assistindo a uma animação nos cinemas por causa das críticas e por serem fãs do Homem-Aranha, então talvez Aranhaverso possa ter uma carreira relativamente decente nas bilheterias brasileiras.

 

Mas isso vamos acompanhar com o passar das semanas. E você, o que achou de Homem-Aranha no Aranhaverso? Comente com a gente.

 

Bilheteria Brasil de 10/01/19 a 13/01/19:

 

Filme Semanas em cartaz Renda na semana (em R$) Público na semana Renda acumulada (em R$) Público acumulado
1- WiFi Ralph: Quebrando a Internet 2 9.787.347 596.082 38.339.378 2.480.132
2- Homem-Aranha no Aranhaverso 1 10.248.677 586.467 10.248.677 586.467
3- Minha Vida em Marte 3 7.960.554 455.026 42.145.386 2.677.373
4- Aquaman 5 6.505.474 367.555 124.538.396 7.544.472
5- Dragonball Super: Broly 2 3.274.132 213.989 13.611.093 932.349
6- Máquinas Mortais 1 2.589.021 140.317 2.589.021 140.317
7- Bumblebee 3 1.424.349 89.449 23.090.782 1.490.794
8- Detetives do Prédio Azul 2: O Mistério Italiano 4 615.678 42.102 16.462.742 1.197.592
9- A Esposa 1 657.205 33.235 657.205 33.235
10- Bohemian Rhapsody 11 580.497 25.684 53.383.047 2.978.378

 

Leia TUDO SOBRE Homem-Aranha no Aranhaverso!

Agora que o artigo acabou, veja um vídeo do nosso canal!

Comentários

legadodamarveldisqus