Bilheteria EUA | Homem-Aranha se segura melhor do que o esperado

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

Mesmo contra forte concorrência, Homem-Aranha: De Volta ao Lar não arredou o pé do top 5 da bilheteria semanal nos Estados Unidos. A comédia de ação estrelada por Tom Holland e Michael Keaton arrecadou mais US$ 13,2 milhões na bilheteria americana em sua quarta semana. Até agora, o Cabeça de Teia já soma bons US$ 278,1 milhões nos Estados Unidos.

     LEIA TAMBÉM!

 

Tal valor pode não parecer muito em comparação com os maiores blockbusters do MCU, porém, para um reboot de super-heróis (que, convenhamos, sempre enfrentam batalhas difíceis para reconquistar o público, até então acostumado com outro elenco interpretando seus personagens preferidos), sua soma até agora é ótima. Não ajustado pela inflação, trata-se da segunda maior bilheteria nos EUA para um reboot até agora, atrás apenas dos US$ 291 milhões arrecadados por O Homem de Aço, em 2013 – um valor que De Volta ao Lar deve passar nos próximos dias. E, se conseguir se sustentar bem nas próximas semanas, também deverá passar os totais ajustados de O Espetacular Homem-Aranha (US$ 299 milhões) e do Superman comandado por Zack Snyder (US$ 308,7 milhões) para se tornar o maior reboot mesmo quando ajustado pela inflação (a não ser, claro, que você considere Batman vs Superman e Deadpool como reboots do Homem-Morcego e do Mercenário Bocudo).

 

 

A  queda que Homecoming sofreu entre o faturamento do último fim de semana e o deste foi de 40,1%, o que é bem próximo da média para um filme do MCU na quarta semana. A boa notícia, aliás, é que tal queda foi menor que as de Capitão América: O Primeiro Vingador, Homem-Aranha 3 e O Espetacular Homem-Aranha 2, filmes cujo desempenho em termos de quedas de um fim de semana para o outro até então estava sendo relativamente próximo ao de Homecoming. Em outras palavras, o novo Aranha que, tal como os três longas citados, vinha sofrendo quedas bastante duras, conseguiu reter sua audiência de forma mais eficiente do que eles na 4ª semana, indicando, portanto, que De Volta ao Lar ainda tem mais lenha para queimar do que se pensava na bilheteria americana.

 

Aliás, o fato de sua queda no 4º fim de semana ter sido menor do que o esperado apenas demonstra que De Volta ao Lar agora ocupa uma posição única – e invejável entre os filmes hollywoodianos: ele será o único blockbuster de ação e aventura, voltado para um público mais amplo que o de seus concorrentes, em cartaz nos Estados Unidos até pelo menos… não sei… Thor: Ragnarok, em novembro?

 

 

Claro, isso não quer dizer que De Volta ao Lar ficará em cartaz até novembro (possível, porém extremamente improvável). Façamos uma rápida análise de seus outros concorrentes: filmes como Planeta dos Macacos: A Guerra, Dunkirk, Atômica, Girls Trip e Em Ritmo de Fuga são praticamente voltados para apenas um público mais velho. Não é como se os pais que levaram suas crianças no novo Homem-Aranha estivessem muito interessados em trazê-las para assistir aos violentos Planeta dos Macacos e Atômica, apenas por estes também serem filmes de ação. Ou como se os grupos de adolescentes, atraídos pelo elenco jovem e descolado do novo Homem-Aranha, quisessem assistir a um épico histórico sobre a Segunda Guerra Mundial (embora talvez o façam pelo Harry Styles). Por outro lado, animações como Meu Malvado Favorito 3 e Emoji: O Filme são o tipo de filme no qual a grande maioria de seu público são famílias com crianças, procurando algo para distrair os pequenos por uma hora e meia.

     LEIA TAMBÉM!

 

Homecoming, por sua vez, sendo um filme de quatro quadrantes*, acaba se tornando uma opção viável para jovens e adultos que querem apenas assistir a um divertido blockbuster de ação e aventura, repleto de efeitos especiais, mas sem a tensão de um Dunkirk ou a infantilidade de um Emoji, por exemplo. E ele deve permanecer nessa confortável posição por mais um bom tempo. Primeiro porque o único que poderia desafiá-lo nessa seara seria a ambiciosa space opera Valerian e a Cidade dos Mil Planetas, que está naufragando de modo humilhante nas bilheterias americanas. Além disso, os longas que chegarão aos cinemas americanos nas próximas semanas não são exatamente blockbusters do tamanho de um Guardiões da Galáxia ou Esquadrão Suicida, que também chegaram em agosto: A Torre Negra, Annabelle 2: A Criação do Mal, Dupla Explosiva, Roubo em Família… E, embora seja ruim para a indústria do cinema ter um mês tão devagar e sem estouros como os dois citados longas do MCU e do DCEU, isso é boa notícia para Homecoming, que, se conseguir se manter em exibição num bom número de telas, poderá ter uma carreira ainda mais longa do que o predito inicialmente.

 

 

De certa forma, aliás, De Volta ao Lar estaria se beneficiando de um dos fatores que ajudou a transformar Mulher-Maravilha num sucesso tão duradouro. Afinal, diante de uma concorrência não lá muito poderosa, a aventura de guerra da DC aproveitou uma carreira extremamente longa nas bilheterias americanas, e agora Homecoming tem potencial para seguir pelo mesmo caminho. Mas saberemos melhor a partir de semana que vem.

 

Mundialmente, o novo Aranha já rendeu US$ 633,5 milhões. O longa chegará ao Japão em 11 de agosto e à China em 8 de setembro, seus dois últimos mercados de relevância. Os dois países orientais sempre foram historicamente receptivos ao Cabeça de Teia – O Espetacular Homem-Aranha 2 faturou quase US$ 100 milhões na China! Claro, tal longa foi lançado num contexto diferente, quando o mercado chinês, então em franca expansão, ainda rendia somas fabulosas a quase todos os blockbusters hollywoodianos que lá chegavam. Hoje em dia, isso já não é mais tão garantido quanto em 2014.

 

 

De Volta ao Lar chegará na China logo após o fim do período de blackout determinado pelo governo, que, durante mais ou menos um mês, restringe por completo a chegada de longas estrangeiros, a fim de preservar as bilheterias aos filmes locais. Sendo assim, Homecoming será o primeiro filme de super-heróis a chegar à China em bastante tempo, o que, somado à ótima receptividade que o Homem-Aranha tem entre os chineses, poderá lhe render uma ótima bilheteria na nação oriental.

     LEIA TAMBÉM!

 

Mesmo assim, embora já seja certo que De Volta ao Lar passará nas próximas semanas os US$ 708,9 milhões do segundo filme de Andrew Garfield, ele vai precisar de toda a bilheteria que conseguir reunir na China e no Japão para alcançar os US$ 757,9 milhões do primeiro Espetacular, ou mesmo os US$ 775 milhões de Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar e os US$ 788,6 milhões de Mulher-Maravilha. Mas não precisa ficar triste: conforme eu disse nas semanas anteriores, Homecoming custou bem menos que os dois longas de Garfield, portanto, ele pode se dar ao luxo de faturar menos e ainda ser lucrativo.

 

 

Para concluir, uma reflexão. Rivais ou não, Marvel e DC conquistaram vitórias bem similares nos últimos meses: reconquistaram a crítica e deixaram o público feliz de novo com um filme do Homem-Aranha e do DCEU. Que as lições de ambos sejam bem aproveitadas pelas duas casas.

 

Bilheteria EUA de 28/07/17 a 30/07/17:

 

Filme Semanas em cartaz Renda no fim de semana (em US$) Renda acumulada (em US$)
1- Dunkirk 2 26.611.130 101.317.350
2- Emoji: O Filme 1 24.531.923 24.531.923
3- Girls Trip 2 19.646.305 65.085.525
4- Atômica 1 18.286.420 18.286.420
5- Homem-Aranha: De Volta ao Lar 4 13.261.372 278.168.177
6- Planeta dos Macacos: A Guerra 3 10.472.252 118.784.881
7- Meu Malvado Favorito 3 5 7.592.560 230.292.465
8- Valerian e a Cidade dos Mil Planetas 2 6.360.085 30.186.232
9- Em Ritmo de Fuga 5 3.971.018 91.967.206
10- Mulher-Maravilha 9 3.340.667 395.244.373

*Hollywood tem o costume de dividir a audiência em quatro quadrantes: homens e mulheres, acima e abaixo dos 25 anos de idade. Um filme de quatro quadrantes, portanto, seria um longa que agradaria a todas essas parcelas do público. Filmes de super-herói ou de franquias como Star Wars e O Senhor dos Anéis são os melhores exemplos de filmes quatro quadrantes.

Comentários

legadodamarveldisqus