CCXP e a verdadeira experiência de ir a uma Comic Con

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

O maior costume que nós fãs brasileiros, e não apenas marvetes, sempre tivemos, foi o de acompanhar fielmente as novidades e surpresas da Comic Con, principalmente a de San Diego. Não é a toa, o evento é quase como uma missa nerd ou uma Copa do Mundo dos heróis. Mas para nós, a única forma de viver isso era lendo relatos dos gringos e torcer para que os vídeos vazassem.

 

       LEIA TAMBÉM!

 

Eu sei que eu não sou o único que há anos passa por isso, que é um fato que cria uma divisão enorme entre os fãs gringos e de outros países, e nos joga num patamar bem abaixo que torna esse evento em algo distante e quase impossível. Mas a esperança e a força dos fãs brasileiros tem sendo recompensada cada vez mais, agora que a Comic Con Experience em seu quarto ano conseguiu se tornar a MAIOR Comic Con do mundo. Sim, DO MUNDO!

 

E foi esse ano que eu realmente entendi o significado desse nome. A CCXP não se trata apenas de uma tentativa de fazer algo parecido e jogar um osso para os fãs brazucas, mas sim de nos dar a verdadeira experiência de uma Comic Con bem aqui no nosso solo. E essa experiência não perde em muita coisa para a gringa, agora que nessa edição tivemos uma série de participações históricas e surpresas inesquecíveis.

 

 

No momento em que o presidente da Marvel Studios apareceu no telão dando um alô pra gente, eu só conseguia aplaudir e gritar. O cara estava ali, olhando pra gente. Eu estava vivendo aquilo, não estava lendo a emoção de outra pessoa. Eu estava vendo coisas que muitos poucos viram e que nunca mais serão exibidas. Nesse momento vi o quanto valeram a pena as noites sem sono, dormindo num chão frio junto com centenas de outros loucos. Essa loucura rendeu apenas alguns dos melhores momentos da minha vida.

 

     LEIA TAMBÉM!

 

Elenco de um filme dos Novos Mutantes da Fox; os responsáveis por uma nova animação do Aranha; Presidente, diretor e atriz de Pantera Negra; o grande astro de Venom. Tudo isso ali na minha frente, enquanto eu já estaria super contente só em ver algumas ceninhas inéditas apresentadas pelos mitos do Omelete. Tivemos momentos especiais do mesmo nível que os americanos tem todos os anos, mas a nossa excitação e euforia é uma coisa exclusiva nossa, que somos os melhores fãs do mundo, e finalmente estamos sendo olhados e considerados como tal.

 

 

Foi um sonho, ver tanta coisa foda e gente que eu admiro. Mas além dos painéis, poder rodar pelo evento e ver aquela infinidade de cosplayers, nos faz sentir muito próximos dos universos que amamos, e mesmo sendo dias que fugimos de nossa realidade, eu sinto que não estamos mascarando nada, apenas vivendo o épico que é ser você e gostar das suas coisas sem nenhuma trava, junto com milhares de fãs que sentem exatamenteo mesmo. Se você é um marvete ou DCnauta, otaku ou fã de games, seu lugar todo mês de dezembro é na CCXP. Apenas isso.

 

      LEIA TAMBÉM!

 

Foi maior honra viver isso, e um orgulho ver o Brasil atingindo esse patamar de sucesso. Você pode odiar os caras do grupo do Omelete, mas o respeito dos fãs brasileiros é o mínimo que eles merecem, já que graças a eles um sonho distante se tornou um fato anual.

Valeu, caras! E se Feige quiser, nos vemos ano que vem, e espero que você também, leitor!

 

Leia toda a nossa cobertura da CCXP 2017

Comentários

legadodamarveldisqus