Entenda por que os pôsteres de Thor: Ragnarok estão fazendo história

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

A Marvel Studios tem um universo cinematográfico invejável, um elenco de primeira e bilheterias esmagadoras, mas se tem algo que ela precisa dar mais atenção são os pôsteres dos filmes.

 

     LEIA TAMBÉM!

 

Não que eles sejam ruins, a maioria é apenas ok. O protagonista fazendo pose olhando pro horizonte, vários heróis reunidos, cabeças flutuantes e o velho esquema de cores azul-laranja. Alguns chegam até a ficar bem parecidos.

 

 

No entanto, se a maioria é apenas ok, há aqueles que destacam por serem de um mau gosto tremendo. É o caso de vários cartazes de Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Muitos focavam mais no Homem de Ferro do que no próprio Cabeça de Teia, sem falar que a pose do ferroso era quase sempre a mesma. A última gota foi esse daqui debaixo, que tem praticamente todos os personagens do longa. Até o Shocker, que tem no máximo 5 minutos de tela, ganhou o seu espacinho na peça de divulgação, que também conta com a fogo, faísca, Nova York, Washington D.C., tudo junto e misturado. Apenas o Homem de Ferro não é o bastante? De boa, toma Tony Stark e sua armadura (fazendo a mesma pose dos outros mil cartazes) juntinhos na mesma imagem. O mesmo rola com Peter Parker, Adrian Toomes e suas respectivas identidades secretas. Acho que faltou um pouco de bom senso na hora de criar esse pôster.

 

 

     LEIA TAMBÉM!

 

Só que é como dizem: “nada está tão ruim que não possa piorar”. Em junho foi divulgado o primeiro pôster de Pantera Negra, um pôster que, vamos ser sinceros, ficou bem tosco. O problema não é o conceito, já que mostrar T’Challa sentado em seu trono é uma ótima ideia, já que faz as pessoas entenderem o poder e a importância do personagem só de olhar para ele. O que deixou a desejar na peça foi a execução, com a cabeça do ator muito mal photoshopada, raios de sol iluminando partes que, pela lógica, eles não deveriam iluminar, tudo com uma artificialidade extremamente exagerada. Dirigido por Ryan Coogler, um dos diretores mais promissores da atualidade, o longa tem tudo pra ser um dos melhores de 2018, só esperamos que os próximos pôsteres estejam à altura do monarca de Wakanda.

 

 

É claro que depois de quase dez anos há alguns exemplos memoráveis na galeria da Casa das Ideias. O primeiro que vem à mente de muitos é o icônico pôster de Os Vingadores. É cheio de coisa? É. Tem contraste laranja e azul? Tem. O Photoshop deixa um pouco a desejar? Um pouquinho. Mesmo assim, apesar dos pesares, caiu nas graças da galera. Virou referência. Teve uma versão com os personagens do Cartoon Network, uma só com os vilões da 1ª fase do MCU e outra feita para divulgar o filme do Porta dos Fundos, além de inúmeras outras reinterpretações da peça. Outro que vale ser citado é o primeiríssimo pôster de Guardiões da Galáxia Vol. 2, aquele preto e branco (contrastando com a estética do longa) em que os personagens parecem rockstars. Digno de uma capa de disco. Duas ótimas artes num mar de mesmice.

 

Não que os pôsteres genéricos da Marvel sejam um problema, se fossem o MCU não tava na ativa a tanto tempo. Só que fica feio pro departamento de marketing. A Coca-Cola, por exemplo, é de longe a maior marca de refrigerante de todos os tempos, e nem por isso ela abre mão de peças bem feitas. Nada disso, a comunicação da Coca é referência no mundo inteiro. Ao que tudo indica a Marvel ainda tem salvação neste aspecto. Thor: Ragnarok veio para trazer mudanças, a começar pelo seu trailer divertido, dinâmico e que faz uso de um dos maiores clássicos do Led Zeppelin. Não por acaso ele quebrou diversos recordes de visualização entre os trailers da Disney. Só isso já bastaria para deixar qualquer fã louco pelo novo filme do Deus do Trovão. Mas eis que, durante a San Diego Comic Con desse ano, é lançada esta lindeza:

 

 

Pode falar a verdade, você nunca viu um pôster igual a esse. Pelo menos não um pôster comercial. Com esse daqui a história é outra, se bobear é capaz até de você vê-lo na sua próxima ida ao cinema. Ele é simétrico, cheio de cor, apresenta todos os elementos da trama sem ficar bagunçado. Cabeça flutuantes? Isso é tão anos 90. Normalmente esse tipo de arte ou é feita por por um é fã do personagem, sem qualquer ligação com a produção do filme, ou então se torna aquelas miniaturas que são entregues em convenções.

 

      LEIA TAMBÉM!

 

Acha que acabou? Que nada. Apesar do trailer repleto de cenas divertidas e da chuva de cores do poster acima, por incrível que pareça ainda tem gente achando que o filme será sombrio. Ou melhor, que ele DEVE ser sombrio. Afinal, essa é a única forma de se representar o Ragnarok, né? Criatividade pra quê? Nada disso, Taika Waititi é dono de um senso estético apurado (quem viu A Incrível Aventura de Rick Baker sabe do que eu tô falando), optar uma direção de arte óbvia não é o estilo do cara. Até porque já tivemos um filme dark sobre dois heróis tretando… Os cartazes individuais não deixam dúvida quanto à explosão cromática que será o terceiro filme do filho de Odin:

 

 

Originalmente este texto terminaria aqui, falando dos posteres individuais, só que enquanto eu escrevia mais um deslumbrante cartaz foi revelado. A estética remete aos antigos anúncios que eram colados nas ruas divulgando lutas de boxe. É isso aí, o pôster foi feito não com a intenção de divulgar a estreia de Thor: Ragnarok, e sim pra anunciar a luta do Deus do Trovão contra o Golias Esmeralda. É o tipo de publicidade que nos faz sentir dentro do filme, em Sakaar aguardando o combate dos dois.

 

 

     LEIA TAMBÉM!

 

É isso, antes mesmo de estrear Thor: Ragnarok já está fazendo história dentro da Marvel Studios. Fica a nossa torcida para que os próximos filmes da Casa das Ideias bebam dessa mesma fonte, presenteando os fãs com belíssimas artes. Nossos olhos agradecem.

Comenta aí, Marvete!

legadodamarveldisqus