PUBLICIDADE

China pode ter tido um outro motivo para banir Homem-Aranha 3, saiba qual

O Governo da China não permitiu a chegada de Homem-Aranha 3 ao país, e nós temos um palpite do porquê, venha conferir.

PUBLICIDADE

Há alguns dias, revelamos aqui no Legado da Marvel o motivo pelo qual a China impediu a estreia de Homem-Aranha: Sem Volta para Casa no país.

 

PUBLICIDADE

    LEIA TAMBÉM!

 

Basicamente, o governo local não gostou da ideia do clímax do longa se passar na Estátua da Liberdade, e pediu para que o monumento, símbolo do patriotismo norte-americano, fosse removido – algo que seria impossível da Sony fazer, afinal, a sequência mais importante do longa tinha a estátua como cenário.

PUBLICIDADE

É um pedido tão esdrúxulo que, na internet do Ocidente, começaram a pipocar teorias do real motivo por trás do governo chinês: eles simplesmente não querem mais filmes do MCU lançados no país porque eles são muito bem sucedidos por lá e podem roubar a atenção de longas locais.

PUBLICIDADE

 

Batalha final na Estátua da Liberdade impediu o lançamento de Homem-Aranha 3 na China.

Para entender a preocupação das autoridades do país, precisamos voltar alguns anos no tempo. Durante boa parte da década passada, longas tanto da Marvel quanto da DC receberam autorização para serem exibidos no país. Aproveitando-se do rápido crescimento do mercado local, boa parte dos filmes obtiveram boas bilheterias por lá.

PUBLICIDADE

Vingadores: Era de Ultron estreou na China em maio de 2015 e arrecadou US$ 240 milhões por lá, tornando-se então a maior bilheteria para um filme de quadrinhos, seguido por Capitão América: Guerra Civil (US$ 181 milhões). A maior parte deles, porém, saía de cartaz com entre US$ 90 milhões e US$ 120 milhões, incluindo os marvetes Homem de Ferro 3 (que aliás teve cenas exclusivas para o mercado chinês), Capitão América 2: O Soldado Invernal, X-Men: Apocalipse, Doutor Estranho, Guardiões da Galáxia Vol. 2, Homem-Aranha: De Volta ao Lar, Thor: Ragnarok e Pantera Negra, e os DCnautas Batman vs Superman, Mulher-Maravilha e Liga da Justiça. Eram totais decentes, porém estava claro que havia um teto para filmes de heróis no país, quebrado apenas pelos crossovers dos Heróis Mais Poderosos da Terra.

Isso começou a mudar a partir de 2018. Em maio, Vingadores: Guerra Infinita chegou aos US$ 360 milhões – o que não surpreendeu ninguém, claro, dado o quão aguardado o longa havia sido. Em agosto, Homem-Formiga e a Vespa deixou a mídia ocidental surpresa ao quase quebrar o teto para filmes “solo”: US$ 121 milhões. 

PUBLICIDADE
rtc-config='{ "urls": ["https://udr.uol.com.br?tag=publicidade&fmt=amprtc","https://page-context.uol.com.br/api/get-amp-page-context?url={{escapeURL}}"], "vendors": {"prebidappnexuspsp": {"PLACEMENT_ID": "24660215"}}, "timeoutMillis": 1000}' class="i-amphtml-layout-fixed i-amphtml-layout-size-defined" style="width:320px;height:50px" i-amphtml-layout="fixed">

Porém, no final daquele ano, Venom e Aquaman conseguiram ir muito além do teto: US$ 269 milhões para o simbionte e US$ 292 milhões para o Rei de Atlântida. Estava claro que o apetite dos fãs chineses por heróis dos quadrinhos estava só crescendo. 

Venom quebrou recordes de bilheteria na China para um filme de heróis solo

Essa tendência positiva atingiu seu clímax em 2019, com Capitã Marvel (US$ 154 milhões), Vingadores: Ultimato (US$ 629 milhões, o maior da história para um filme estrangeiro no país) e Homem-Aranha: Longe de Casa (US$ 199 milhões). Naquela altura, parecia que os chineses estavam tão apaixonados por super-heróis quanto o restante do mundo ocidental.

Claro, Coringa não estreou por lá, mas eles certamente compareceriam no ano seguinte para assistir Viúva Negra e Mulher-Maravilha 1984, certo?

Errado. A pandemia de Covid-19 atingiu a China primeiro, fechando as salas de cinema inicialmente no país e depois no restante do globo. O impacto na indústria do entretenimento ao redor do mundo até hoje é difícil de ser mensurado. Porém, conforme os cinemas chineses lentamente reabriam as portas, as autoridades locais possivelmente sentiram que o produto local deveria ser priorizado em vez do norte-americano.

Lançado em 2019, Homem-Aranha: Longe de Casa foi o último grande sucesso da Marvel na China.

Em 2020 e 2021, algumas das maiores bilheterias anuais foram para filmes chineses, com seus impressionantes faturamentos conquistados praticamente apenas em seu país de origem. Entre eles, temos The Eight Hundred (US$ 461 milhões), My People, My Homeland (US$ 423 milhões), Detective Chinatown 3 (US$ 686 milhões), Hi, Mom (US$ 821 milhões) e o maior deles: The Battle at Lake Changjin (US$ 902 milhões). Neste ano, o maior destaque dentre os blockbusters chineses até o momento foi Water Gate Bridge (US$ 626 milhões).

Enquanto isso, grande parte dos filmes de super-heróis pós-pandemia não foram aprovados para estrear na China, inclusive longas que certamente seriam hits por lá, como Venom: Tempo de Carnificina e o próprio Sem Volta para Casa. Os poucos que obtiveram a autorização foram recebidos com bilheterias medíocres, como Mulher-Maravilha 1984 (US$ 25 milhões) e Batman (míseros US$ 24 milhões). 

A conclusão que dá para tirar disso tudo é que as autoridades chinesas devem ter se preocupado com o grande sucesso dos super-heróis estrangeiros no país. Como ir ao cinema se tornou mais complicado depois da pandemia, eles preferiram dar prioridade aos filmes locais. 

Dito isso, será que algum dia os chineses vão poder voltar a assistir os blockbusters da Marvel nos cinemas de seu país? Aliás, será que eles sequer vão querer isso após verem seus sucessos locais atingirem um nível de espetáculo digno de Hollywood?

O drama de guerra The Battle at Lake Changjin arrecadou mais de US$ 900 milhões só na China.

Vale ressaltar que não foram todos os longas hollywoodianos banidos da China. Em 2021, o país recebeu Godzilla vs KongVelozes & Furiosos 9007: Sem Tempo para MorrerDuna, entre outros. Para este ano, a estreia de Jurassic World: Domínio já foi aprovada pelos censores. Em sua maior parte, porém, os filmes de heróis foram quase todos rejeitados.

Também é preciso dizer que o fato de não saírem na China não impediu Tempo de Carnificina (US$ 506 milhões globalmente) e Sem Volta para Casa (US$ 1.89 bilhão, o sexto maior da história) de serem bem sucedidos nas bilheterias.

De toda forma, tudo isso é apenas especulação e palpites de quem acompanha os vaivéns da indústria do cinema. Talvez seja verdade, talvez os censores chineses simplesmente não tenham gostado do clímax de Homem-Aranha 3.

Continue ligado no seu Legado da Marvel para saber tudo sobre seus heróis favoritos!

Escute o Podcast do Legado:

MAIS SOBRE O FILME:

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa é o título oficial da continuação de Homem-Aranha: Longe de Casa. O terceiro filme solo estrelado por Tom Holland. O filme faz parte da Trilogia do Multiverso do MCU, iniciada por WandaVision e seguida por Doutor Estranho 2!

Além de Holland, o elenco ÉPICO de Homem-Aranha 3 conta com Benedict CumberbatchZendaya e Jacob Batalon. Sim, os veteranos estão de volta! Incluindo Tobey MaguireAndrew Garfield e os vilões: Willem Dafoe (Duende Verde), Alfred Molina (Doutor Octopus) e Jamie Foxx (Electro)!

Dá pra acreditar?! O ARANHAVERSO É REAL e após bater recordes no cinema, o filme está disponível para compra e aluguel digitalmente. Corre lá pra rever essa perfeição! É realmente o melhor filme do Homem-Aranha já feito? Confira a nossa crítica CLICANDO AQUI!

Leia TUDO SOBRE Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa!

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Sair da versão mobile