Depois de anos na geladeira, filme do Venom poderá quebrar paradigmas

Curte lá!
Dá um follow aê!
Segue lá!
Se inscreve aê!

‘‘Você é Eddie Brock, eu sou o simbionte. Juntos somos Venom’’. É com o bordão clássico do personagem que o diretor Ruben Fleischer (Zumbilândia) detalhou um pouco sobre sua abordagem logo após de ter feito uma analogia com o Dr. Jekyll e o Sr. Hyde em O Médico e o Monstro. O spin-off baseado nas histórias do icônico simbionte e um dos principais antagonista do Homem-Aranha, será estrelado por Tom Hardy.

 

Após Logan e Deadpool terem sido sucessos absolutos de crítica e público, os estúdios começaram a mudar de perspectiva quando o assunto é adaptações de HQ’s para +18 anos. Algumas obras cinematográficas que possuem classificação indicativa para adultos, pressupõem um orçamento modesto em relação à maioria dos grandes blockbuster. Lançado em 2016, Deadpool foi pioneiro nesse quesito, balançando as estruturas de Hollywood e revolucionando a indústria, se tornando de um mero desconhecido à xodó do grande público. O fato é que essa tendência permite aos cineastas uma abordagem mais autoral, e os possibilita usufruírem do uso excessivo de violência, o que acaba divergindo da fórmula costumeira dos filmes de super-herói atuais, gerando um interesse de um público sedento por algo ‘‘diferente’’. Ainda não sabemos nada sobre o orçamento de Venom, mas o produtor Sanford Panitch, afirmou que o longa terá inspiração em elementos de horror e citou os filmes de John Carpenter, especificamente o clássico Halloween (1978); e David Cronenberg, diretor de A Mosca (1986). Segundo Panitch, são essas as principais influências para Venom. Além disso, o diretor afirmou recentemente que as pessoas podem esperar um filme com muito humor negro e ação pesada. Convenhamos que apesar de nomes como Michelle Williams, Woody Harrelson (rumor) e o próprio Tom Hardy, ainda é um caminho que supõe um custo de produção relativamente baixo.

 

 

Criado em 1988 (o filme estreia no ano em que o vilão completa 30 anos) por David Michelinie, Todd Mcfarlane e Mick Zeck, a partir de um design desenvolvido por um fã e comprado pela Marvel por U$220 dólares, Venom foi um sucesso desde sua primeira aparição. Com aspectos mais sombrios e um teor psicodélico, a popularidade do vilão cresceu absurdamente nos anos 90, passando a ganhar diversas minisséries. Além disso, uma mitologia foi expandida em torno de sua história, nascendo: O universo dos simbiontes. Sim, a partir desse personagem derivaram várias outras entidades de natureza simbiótica do Universo Marvel. Um deles é Cletus Kasady/Carnificina, principal antagonista de Venom nos quadrinhos.

 

    LEIA TAMBÉM!

 

Como detalhamos anteriormente, durante o painel da Sony na Comic Con Experience deste ano em São Paulo, Tom Hardy e Ruben Fleischer falaram com os fãs através de um streaming direto dos sets de filmagem em Atlanta. Os dois revelaram breves detalhes sobre a trama do filme. De acordo com Fleischer, um dos principais arcos que servem de inspiração para o longa é uma minissérie aclamada pelos fãs: Protetor Letal (1993), dividida em seis edições e escrita por David Michelinie. Na história, Eddie Brock se muda para São Francisco após um acordo com o escalador de paredes, deixando Nova York para trás e se tornando de fato um anti-herói. Caçando assassinos, pedófilos e qualquer um que fosse danoso à sociedade. Mas acaba sendo atacado pelo filho de uma das vítimas que ele atacou no passado, enquanto é caçado por uma fundação maligna, um grupo que pretende estudar o simbionte e usá-lo para os seus propósitos, o que resulta no nascimento de mais cinco simbiontes. Outra história que servirá como base é Planeta dos Simbiontes (1995), também de David Michelinie, história de cinco edições onde o planeta Terra é invadido por um exército de simbiontes. Homem-Aranha, Venom e o Aranha Escarlate unem força para derrotá-los.

 

Tom Hardy aparecendo de surpresa na streaming, diretamente dos sets.

 

O painel de Venom na CCXP17 foi considerado um dos melhores do evento. Tom Hardy parece bem empolgado com a oportunidade de interpretar um dos melhores e mais profundos vilões do aracnídeo. Apesar de inicialmente parecer um vilão genérico (graças ao visual ‘‘plagiado’’ do Homem-Aranha), Eddie Brock possui um nível de dramaticidade que poucos vilões do cabeça de teia conseguem ter. Todo herói precisa de um nêmesis, mas enquanto alguns desses vilões que se apossam da caracterização e possuem poderes idênticos aos dos heróis tendem a falhar na criatividade, o simbionte negro tem uma história que influencia e engrandece a mitologia do Homem-Aranha. Envolvendo questões como conflito moral, Eddie vive uma constante luta interior entre amor, e o medo de que sua relação com o simbionte o faça romper seu código de ética. Sim, Venom não mata inocentes. Vale lembrar que o simbionte é um alienígena Klyntar que foi degenerado pela natureza truculenta de seu primeiro hospedeiro, o que fez com que o alien ficasse viciado em raiva. O simbionte percebeu que Eddie possuía um ódio latente, decorrente da frustração na vida pessoal e profissional, no qual culpava o herói aracnídeo pela sua ruína. Brock era um mentiroso que distorcia os eventos reais para fazê-lo seguir na direção que fosse mais conveniente. Ele culpa o Aranha por sua incapacidade de assumir a responsabilidade pelos erros que ele próprio cometeu. Sentindo o ódio de Brock por seu inimigo, o simbionte ligou-se ao seu corpo, formando uma dupla com consciência mútua.

 

    LEIA TAMBÉM!

 

Todos se lembram de sua aparição no terceiro filme da franquia original, e acredito que muitos devem ter saído decepcionados com vários elementos canônicos do personagem que foram mal executados. Interpretado por Topher Grace, a origem cósmica do simbionte foi extremamente simplificada no roteiro. Inicialmente, a ideia era apresentar somente a gosma alienígena e Eddie Brock, sem explorar seu alter-ego. Sam Raimi acabou sendo intimado pelo produtor Avi Arad a incluir o vilão no roteiro porque o personagem era muito querido e possuía uma forte base de fãs, de modo que isso atrairia mais público. No entanto, Raimi não possuía feição pelo simbionte negro e hesitou em explorar o personagem devido à sua “falta de humanidade”. Além disso, Raimi era contra a inclusão de mais de um antagonista. Em 2015, Avi Arad chegou inclusive assumir a culpa pela adaptação do vilão. O filme de 2018 ainda enfrentará muita desconfiança por parte dos fãs justamente pela presença do Arad na produção, mas sendo justo, não atribuo plena responsabilidade ao produtor. Claro, Avi Arad limitou a total liberdade que Sam Raimi possuiu nos filmes anteriores em resposta aos milhares de fãs que suplicavam pela presença do Venom na franquia (eu, inclusive), mas a adaptação defeituosa é resultado da divergência entre os envolvidos na pré-produção do filme, não devendo ser reivindicada apenas ao Arad. O produtor é fascinado pelo personagem e realmente demonstra entender sua essência em cada entrevista. De fato, Arad foi o maior responsável pelo fracasso de O Espetacular Homem-Aranha 2 por motivos diferentes e por outras variáveis, mas isso é um assunto para outra hora.

 

 

A intenção da Sony, que detém os direitos sobre todo o universo aracnídeo, é criar uma nova franquia com o Venom. Antes de tornar-se o vilão do terceiro Homem-Aranha, a Sony já tinha um projeto de filme solo circulando Hollywood. Avi Arad chegou a afirmar que possuía planos para o vilão antes mesmo do primeiro longa do Aranha em 2002. A New Line Cinema tinha os direitos sobre a adaptação de Venom, embora não se saiba muito sobre esse filme não feito, sabemos que David S. Goyer foi contratado para escreva o roteiro, e apresentaria Venom como um anti-herói e Carnage como o antagonista. Em julho de 2008, a Sony estava desenvolvendo ativamente Venom como uma sequencia direta de Homem-Aranha 3, na esperança de que o personagem poderia “acrescentar longevidade” para a franquia de forma semelhante à Wolverine.

 

    LEIA TAMBÉM!


Em setembro de 2008, a Sony contratou Paul Wernick e Rhett Reesepara para escrever um novo roteiro. Todd MacFarlane, cocriador do personagem, não depositava confiança na produção. Segundo ele: “Venom deveria ser mais assustador do que foi em Homem-Aranha 3. Não dá pra assustar demais as crianças, porque elas adoram o personagem, mas acho que dava pra levar ele um pouco mais além”. Já em 2018, Todd expressou seus pensamentos sobre Tom Hardy interpretar o anti-herói. Ao que parece, ele ainda demonstra hesitação quanto ao novo projeto, mas a presença do Hardy o anima:

 

 

“Será interessante. Eu vi alguns filmes dele onde ele pode trazer uma raiva e uma grande personalidade. Para mim, Tom Hardy vai ser tão bom quanto o Venom merece. Ele vai fazer um bom trabalho. Mas o que Venom vai ser? É um filme avaliado como R, mas o quão R ele vai ser? Para mim, essa é a questão. Venom é um monstro para mim – eles farão dele um monstro ou um homem? Eles o humanizarão? Isso é o que vamos descobrir.”

 

    LEIA TAMBÉM!

 

Ainda em 2008, Paul Wernick e Rhett Reesepara lançaram a ideia de uma história original para o filme da Sony. A dupla trabalhou em um esboço com a Sony e a Marvel, que “tinham regras específicas sobre o vilão e a história de fundo e coisas assim”. Eles completaram um rascunho em abril de 2009, que incluiu um papel escrito especificamente para Stan Lee, e apresentou uma sequência onde o simbionte salta “através de uma cidade, de corpo a corpo, e cada pessoa que habita acaba se tornando realmente violenta e golpeando outra pessoa”.

 

Tom Hardy gravando o filme, com estreia para 4 de outubro de 2018.

 

Em outubro de 2010, Gary Ross, que retocou o texto do cancelado Homem-Aranha 4, estaria contratado para mexer no script e, possivelmente, dirigir. Em janeiro de 2010, a Sony anunciou que a franquia do Homem-Aranha seria reiniciada depois que Raimi decidiu não continuar na direção dos próximos filmes. Em março de 2012, a Sony ainda estava interessada em um filme do Venom. O estúdio estava em negociações com Josh Trank depois que Gary Ross deixou o projeto para dirigir Jogos Vorazes (2012). Em junho do mesmo ano, Arad e o produtor Matt Tolmach, discutiram como conectar o filme solo do Venom na nova franquia do Homem-Aranha. Depois do sucesso estrondoso do Universo Cinematográfico da Marvel, a Sony planejava construir um universo expandido apenas com personagens da Marvel em que possuía propriedade. Em 2013, a Sony anunciou seus planos para os primeiros derivados de O Espetacular Homem-Aranha 2: Alex Kurtzman, Roberto Orci e Ed Solomon iriam escrever o roteiro do filme do simbionte.

 

    LEIA TAMBÉM!

 

Com o fracasso de O Espetacular Homem-Aranha 2, e logo após o acordo entre a Sony e a Marvel Studios, o longa foi para geladeira, sendo revivido pela Sony somente em março de 2016. O projeto foi concebido como um filme autônomo, sem relação com os novos filmes do Aranha no MCU. Tom Hardy, indicado ao Oscar por O Regresso, foi oficializado como o ator que interpretaria Eddie Brock através de um post no Instagram que mostra Hardy com a camiseta do personagem. Scott Rosenberg (Jumanji) e Jeff Pinkner (A Torre Negra) escreveram o roteiro do longa.

 

Logo do filme revelada na CCXP17.

 

Outro questionamento recorrente é como a Sony irá construir um universo expandido do Homem-Aranha sem a presença do Homem-Aranha. Não sabemos ao certo como irá funcionar, o que foi dito é que Tom Holland, ator que interpreta o herói no MCU, não estará envolvido nessa franquia. Realmente causa estranheza uma história de origem de Venom em um universo onde não existe o aracnídeo, já que é necessário que o simbionte tenha anteriormente contato com o teiúdo, de modo que pudesse absolver todos os poderes aracnídeos.

 

Eu presumo que exista sim, um Homem-Aranha já estabelecido dentro desse universo, e eventualmente será citado durante o filme. Talvez até apareça, mas somente como o Aranha, nada de Peter Park. Já pensaram? Um universo cinematográfico de quadrinhos somente na perspectiva de vilões? Talvez o estúdio tenha aprendido a lição depois de tantos erros, talvez esse filme mereça seu voto de confiança. Dedos cruzados para que a Sony obtenha êxito em seu planejamento, e que possamos desfrutar de mais filmes sanguinolentos baseados em anti-heróis. Venom chega aos cinemas brasileiros no dia 04 de outubro de 2018. #WeAreVenom

 

Leia TUDO SOBRE Venom!

Comentários

legadodamarveldisqus